Yuri Brachiev - O Corruptor. -- CONCLUIDO

Página 1 de 4 1, 2, 3, 4  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Yuri Brachiev - O Corruptor. -- CONCLUIDO

Mensagem  Daniel Ramone em Qui 22 Jan 2015 - 7:49

11 horas. Exatamente o horário que o contato dos Andarilhos do Asfalto marcou com você na Praça Vermelha. Você ainda não sabia o motivo daquele encontro tribal, mas foi um pedido dos mais respeitáveis Presas de Prata da Rússia que você atendesse aquela solicitação. Não havia como negar.  

De um lado o Kremlin, do outro o bairro de Kitay-Gorod. A praça estava tranquila àquela hora do dia, com pouca movimentação. Por estar tão vazia, você conseguiu notar a aproximação de uma mulher. Era alta e vestia um sobretudo azul, por cima de calças de couro e botas próprias para não derraparem no gelo das calçadas. Sua ascendência era tipicamente russa, com cabelos claros, olhos azuis e um rosto aspeto frio.  Ela estende a mão para você e diz:

- Olá, eu sou Ivana Asintayeva, parente dos Andarilhos do Asfalto da Seita dos Corredores da Neve. Você deve ser Yuri Brachiev, Ahroun dos Presas de Prata, estou certa?


- Vincenzo

- Gaspard

- Miranda

Ação
Fala
Off
Pensamento
avatar
Daniel Ramone
Senhores das Sombras
Senhores das Sombras

Mensagens : 443
Data de inscrição : 29/12/2013
Idade : 29
Localização : Pet Sematary

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Yuri Brachiev - O Corruptor. -- CONCLUIDO

Mensagem  Midnight em Qui 22 Jan 2015 - 13:32

Observava o ambiente, ainda calmo, mas estava na hora. Havia acabado de enfiar o celular no bolso de trás da calça jeans preta que vestia, a jaqueta marrom havia sido escolhida com certo cuidado, não sabia ao certo com quem iria lidar, então procurei um meio termo entre a casualidade e a formalidade, uma bota preta simples completava meu visual naquela manhã. Agora que dava alguns segundos de atenção para averiguar o que vestia, tinha certa desconfiança sobre a harmonia do meu traje. Suspirei frustrado, eu ainda teria que me esforçar muito para conseguir me incorporar nas selvas de concreto adequadamente uma vez mais, e esse tipo de "mal necessário" sempre parecia particularmente complexo para mim. Em meio a minha distração, o contato finalmente chega.

Dispersava instantaneamente os pensamentos desnecessários que figuravam em minha mente, analisava por alguns instantes a moça que se aproximava até ela finalmente se apresentar. Meu olhar permanecia seguro, mesmo eu estando incerto quanto ao que fazia ali. O fato de não saber o que esperava por mim não era exatamente confortável, mas lidar com outra Tribo parecia ser um bom sinal, especialmente fora de uma mansão. No final das contas, independentemente do que eu pensasse, o "pedido", vindo de quem veio, não é o tipo de coisa que se possa dar as costas sem uma repreensão adequada, mesmo para mim. Por via das dúvidas, estava ali de bom grado. Estendi a mão direita após tirá-la do bolso frontal da jaqueta, correspondendo seu cumprimento.

Não havia muita gente na praça e ter me identificado não deve ter sido uma tarefa complicada -quantos caras na minha idade tem cabelos dessa cor?- mas notar que ela tinha tanto controle assim sobre a situação me deixou um pouco irritado, no entanto procurei não demonstrar, sendo cordial com minhas palavras: -Exato.- Não sabia se ela havia omitido meu nome tribal por respeito, receio ou precaução, mas preferi admitir que ela não sabia dele, estaria mais aliviado assim. Não me dei ao trabalho de olhar ao redor mesmo com aqueles termos internos sendo escancarados, ela era uma Parente, afinal, não deveria ser estúpida. Encarei ela francamente após alguns momentos de silêncio e finalmente disse: -E então, qual o motivo de estarmos aqui?-
avatar
Midnight

Mensagens : 136
Data de inscrição : 09/01/2015

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Yuri Brachiev - O Corruptor. -- CONCLUIDO

Mensagem  Daniel Ramone em Sab 24 Jan 2015 - 8:02

Ela sorri, e você percebe nela um traço de confiança que é sempre marcante em uma mulher, já que elas sempre preferem parecer sensíveis.

- Direto ao ponto. Gosto disso. - Diz ela.

Ela se põe ao seu lado, observando a praça junto a você por alguns segundos, até começar a explicar.

- Do mesmo jeito que estamos parados aqui hoje, nossos avós estiveram anos atrás. Foi aqui que Mãos-do-Macaco, seu descendente, prometeu a Voz-dos-Becos, meu descente, que forjaria para nós uma Klaive que serviria de presente para acabar com as hostilidades entre Presas de Prata e Andarilhos do Asfalto. As disputas realmente terminaram, nos tornamos civilizados com o tempo, no entanto nunca chegamos a ver Mãos-do-Macaco de novo, muito menos a Klaive que ele nos prometeu.

Ela novamente faz silêncio, como se estivesse escolhendo as próximas palavras a serem ditas.

- Não quero que isto soe como algo mesquinho, mas minha família exige que a Klaive seja entregue, do contrário nossos Galliards irão difamar o nome de seu avô sem piedade. Sinto muito se isto esteja soando como ameaça para você, mas promessa é promessa. - Ela termina, olhando para você com certo receio.


off: Obrigado por ter entendido o caso da ficha e a ter mudado, mas faltou apenas alterar sua aparência, que ainda está 5.


- Vincenzo

- Gaspard

- Miranda

Ação
Fala
Off
Pensamento
avatar
Daniel Ramone
Senhores das Sombras
Senhores das Sombras

Mensagens : 443
Data de inscrição : 29/12/2013
Idade : 29
Localização : Pet Sematary

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Yuri Brachiev - O Corruptor. -- CONCLUIDO

Mensagem  Midnight em Sab 24 Jan 2015 - 16:17

Dei de ombros após ela apoiar a forma como eu havia iniciado a conversa, minha apatia mudou gritantemente a medida em que ela falava.

Primeiro a surpresa em ter o nome de um dos meus ancestrais citados por ela, depois a confusão com a história que me era contada: "Desde quando os Presas de Prata presenteiam pela paz? É quase imensurável o quão absurdo esses acontecimentos possam parecer." Raciocinei sobre a condição de Impuro de Mãos do Macaco, a necessidade de unir as Tribos para o enfrentamento de Baba Yaga, o motivo de eu ter sido enviado pessoalmente por um Garou tão importante... Parecia um quadro apropriado para uma ocasião atípica. Ser contactado por uma Parente era apenas a cereja no bolo, afinal.

Eu arqueava uma sobrancelha a medida em que recebia suas palavras. Uma Parente dos Andarilhos do Asfalto falando comigo daquela forma? Por um instante me dei conta do quanto buscava não ser apenas o que meu nome contava, mas que não estava acostumado a ser tratado de tal forma. Eu estava me acostumando com aquela condição? De forma alguma! Estava um tanto confuso comigo mesmo, mas tentei argumentar da melhor forma que pude, ficando a sua frente, ainda encarando ela diretamente: -Por mais desaforado que esse conto pareça, talvez ele tenha algum fundamento.- Me dei conta do por quê estava ali. Uma divida de família, afinal. Quis ter minhas garras nas gargantas dos velhos da Tribo. Continuei com a fala ríspida: -Parece um assunto importante. Praguejar o nome de um nobre Presas de Prata seria o suficiente para arrumar uma boa briga.- Deixei o clima tenso pairar por alguns segundos antes de prosseguir: -Fico me perguntando se os Garous de sua família são covardes demais para assumir suas acusações diante de minha presença...- Meus olhos firmaram-se aos delas enquanto terminava: -Ou se ainda você não teme por sua própria garganta.-

Olhei ao redor, como que para certificar-me de que não haviam muitas testemunhas, meu olhar voltou para ela, e eu estava tranquilo. Dei de ombros finalmente dizendo: -Seja como for, você tem coragem.- Coloquei as mãos nos bolsos frontais da jaqueta e encerrei: -Estou disposto a conhecer o caso por completo, mas esse não é um local apropriado. O lar de sua família talvez seja.- Averiguei a expressão da moça, tentando avaliar o quão bem havia me saído.
avatar
Midnight

Mensagens : 136
Data de inscrição : 09/01/2015

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Yuri Brachiev - O Corruptor. -- CONCLUIDO

Mensagem  Daniel Ramone em Dom 25 Jan 2015 - 9:38

Ivana sorri como se sua rispidez não a afetasse.

- Já imaginava que fosse se irritar. Mas se eu fosse você agradeceria por minha família ter enviado a mim, só uma parente, ao invés dos nossos Garou "cabeças quentes", afinal meu objetivo aqui é conciliar, e não alimentar velhas rusgas. - Ela explica de maneira direta.

A praça estava praticamente vazia agora, fora vocês, havia apenas um casal de velhinhos alimentando pombos ao longe. Se Yuri ainda planejava cortar a garganta da Parente dos Andarilhos, seria esse o momento ideal.

- Os Garou costumam considerar esta parte do mundo como território dos Presas de Prata, e de fato é. Mas os Andarilhos também se assentaram pela Rússia. Purificamos áreas que vocês deram como perdidas para a Wyrm e erguemos caerns sobres ela. Isso gerou alguns conflitos, é verdade, mas finalmente as melhores mentes entre vocês puseram as cabeças para funcionar e perceberam que nos ter por perto neste país tão grande era benéfico, já que em épocas de Apocalipse os Garou já não são tão numerosos para proteger toda a Rússia da invasão dos vampiros. - Ela conta. - Infelizmente, nossas batalhas por territórios já havia ido longe demais para um simples pedido de desculpas, muito sangue foi derramado de ambas as partes, e o nosso lado queria algo mais dos Presas de Prata em sinal de retratação. Foi aí que seu descendente entrou na história, nos prometendo nada menos do que uma Klaive que pudesse nos ajudar com a segurança de nosso território. Nossos Philodox não ficaram muito satisfeitos, mas nossos Ahroun... estes estavam doidos para colocar as mãos em uma arma de semelhante poder. Mas como eu disse antes, a arma nunca nos foi entregue, embora saibamos que ela foi confeccionada.

Ela respira um pouco, sentindo que se prolongou demais contando aquela história.

- De qualquer modo, você não precisa perder a cabeça com a minha ameaça. Se difamar o nome de seu descendente fosse a nossa principal intenção, já teríamos feito isso anos atrás e sem aviso prévio. O fato de eu estar aqui abrindo negócio já mostra a boa vontade da minha família, então eu sugiro que seja grato. Mas saiba que queremos a Klaive que nos foi prometida e não abrimos mão. Consiga ela para nós e tanto o nome de seu avô quanto a paz entre nossas tribos será mantida intacta.

Ivana não parecia ter medo de estar falando diretamente com um Garou, com um Lua cheia... Com certeza Yuri poderia matá-la sem nenhum esforço se quisesse, mas com certeza haveriam consequências em matar um parente dos Andarilhos, ele estaria pronto para arcar com elas?


- Vincenzo

- Gaspard

- Miranda

Ação
Fala
Off
Pensamento
avatar
Daniel Ramone
Senhores das Sombras
Senhores das Sombras

Mensagens : 443
Data de inscrição : 29/12/2013
Idade : 29
Localização : Pet Sematary

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Yuri Brachiev - O Corruptor. -- CONCLUIDO

Mensagem  Midnight em Dom 25 Jan 2015 - 18:15

Não contive um sorriso espontâneo com as primeiras palavras dela, o que talvez tenha acabado por amainar o clima. Disse pouco antes dela continuar com uma determinação expressiva nos olhos: -Agradecer? Não brinque comigo. Sou Ahroun, senhorita Ivana, não um Ragabash. Um combate quase sempre me deixará muito mais a vontade para resolver qualquer assunto do que uma conversa.- Mas permiti que ela contasse a versão de sua Tribo da história sem interrupção, sem nem mesmo demonstrar muita reação, já que pelo meu humor atual qualquer manifestação do gênero poderia levar aquilo de uma conversa embaraçosa para uma tarde trágica. Eu teria uma acusação fundada da Tribo contra mim caso perdesse o controle, e não sabia se conseguiria me perdoar por assassinar alguém integrante do meu próprio povo. Por mais que a garota fosse atrevida, eu tinha que me lembrar de tudo o que envolvia minha presença ali. Escutei tudo com atenção.

Ao fim da história eu estava intrigado, mas ao fim de seus argumentos uma mistura de revolta e frustração tomou conta de mim. Por que diabos eu tinha que vir negociar isso? A Tribo estava cheia de gente interessada em atividades como essa, não seria mais adequado apenas me jogar no fogo após tudo estar resolvido? Era estranho me sentir tão inapto, e o pior, ela era apenas uma Parente. Mas ela não parecia de forma alguma ser uma, o jeito como conversava comigo não demonstrava a típica postura de um Parente, ela nem mesmo transparecia receio quando minha postura tomava algum ar agressivo... Me perguntei sobre sua condição, e essa distração me deixou um pouco mais longe de explodir. Mas não mais próximo de me tornar tão bom quanto eu gostaria em meio a uma conversa. Tentando usar do que tinha em mãos, ativei o Dom Persuasão para me sair melhor no restante do diálogo.

Procurei organizar melhor os meus pensamentos. Deixando o orgulho de lado, não foi muito difícil dar uma luz a situação. Se aceitasse aquela missão estaria munindo a Nação contra um mal maior, e eu sempre achei as intrigas Tribais criticamente nocivas para nossa união coesa. E isso poderia ter um significado muito maior, afinal. Eu poderia servir a interesses políticos de ambas as Tribos, agradar um Garou de posto significativo, e estar um pouco mais próximo de ter a liberdade que gostaria para agir. Por mais que isso me revoltasse, começava a perceber que não poderia resolver tudo com gritos e garras. A cada dia que passava percebia que muito mais do que minhas batalhas, havia uma Guerra à ser vencida.

Alguns segundos haviam se passado enquanto pensava a respeito de tudo, tentei mostrar que eles foram por um bom motivo falando com segurança: -Você fala como se essa arma fosse o próprio calcanhar de Aquiles dos Presas de Prata ou mesmo da Wyrm. Não seja tão presunçosa.  Confio piamente na eficiência de Mãos do Macaco em seus trabalhos, mas há sempre ao menos duas versões de uma mesma história. E a sua me parece não muito além de um teste à minha paciência.- Cruzei os braços para tentar demonstrar que não tinha interesse em abrir mão do que estava prestes a falar e disse: - Minha condição para avaliar a possibilidade de tomar a busca é a de ser levado até um dos Garous de sua casa. É um quadro complexo demais para ser resolvido se não dessa forma. Considere essa minha demonstração de boa vontade.- Queria pressioná-la, duvidava que estava diante de uma Parente, talvez aquilo fosse o suficiente para começar a progredir em minha suspeita.
avatar
Midnight

Mensagens : 136
Data de inscrição : 09/01/2015

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Yuri Brachiev - O Corruptor. -- CONCLUIDO

Mensagem  Daniel Ramone em Ter 27 Jan 2015 - 21:33

Quando você lembra a ela sua condição de Ahroun, ela revira os olhos entediada.

- Sei, sei... Você é uma máquina de matar, mas é exatamente para evitar possíveis mortes que estou aqui. - Ela lembra.

Yuri rola 4 dados com dificuldade 6 para usar o dom Persuação: 10, 1, 7, 8 = 2 sucessos.

Quando Yuri torna a falar, percebe que suas palavras causam um impacto a mais na mulher, mas não muito, apenas para que ela abandone um pouco aquela postura debochada do inicio da conversa.

- Não é pra ser o calcanhar de Aquiles de ninguém, mas somos uma sociedade que assim como cultua a Sabedoria e a Glória, também cultua a honra, e esperamos que a promessa feita por Mãos-do-Macaco seja cumprida. - Diz ela um pouco mais gentil.

Quando Yuri impõe ir até os Andarilhos pessoalmente para falar do assunto ela se mostra um pouco descontente.

- Sinto muito, mas o território deve ser respeitado. Entenda que estamos em uma zona neutra, e que se os Andarilhos me enviaram aqui foi para que dois lados repletos de fúria não precisassem discutir um assunto tão delicado. Levar você até a tribo seria o mesmo que dizer que a minha presença aqui é uma completa perda de tempo, e não seria bom para nenhum dos lados que estas tratativas comecem com o pé esquerdo. Um Garou sábio teria ido até seu próprio povo para confirmar a história, caso tivesse dúvidas.


- Vincenzo

- Gaspard

- Miranda

Ação
Fala
Off
Pensamento
avatar
Daniel Ramone
Senhores das Sombras
Senhores das Sombras

Mensagens : 443
Data de inscrição : 29/12/2013
Idade : 29
Localização : Pet Sematary

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Yuri Brachiev - O Corruptor. -- CONCLUIDO

Mensagem  Midnight em Qua 28 Jan 2015 - 18:00

Apesar de todo meu esforço, as coisas continuavam a progredir lentamente, se é que estavam progredindo. Mesmo após usar um Dom a mulher se matinha firme, e isso me deixava ainda mais intrigado, e até mesmo com um pouco de receio: "Não dá para acreditar que ela seja uma Parente dos Andarilhos. Será que minha presença significa tão pouco assim?" Após a recusa categórica dela quanto a meu pedido, não estava muito impelido a acatar seus termos. Reconhecia a razão dela em citar a consulta a outros Presas de Prata como uma saída inteligente para meus questionamentos, mas algo ainda me deixava inquieto, não fosse isso já teria o feito. Definitivamente, a forma como ela agia me banhava com perguntas, e isso me tirava o foco.

Passei alguns segundos avaliando tudo o que dissera, queria deixar claro que havia dado atenção as suas palavras antes de agir, afinal, o que tinha em mente poderia não parecer amisto. Após acalmar meus ânimos correspondendo o tom dela, disse em tom tranquilo: -Fala como se eu estivesse tentando invadir suas propriedades. A verdade é bem distante disso, não tente colocar palavras em minha boca. Um convite é muito a quem de uma invasão, se não confiam em mim ao ponto de abrirem as portas de sua casa, não entendo onde poderiam guardar confiança de que eu recuperasse um item tão estimado.- Dei de ombos me afastando alguns passos, virei-me em direção à ela sem muito interesse e por fim disse calmamente: -Minha intensão quanto ao nome de meus antepassados, a fortificação da Nação e a união de nossas Tribos é a melhor possível, e de fato a busca me despertou interesse. Mas você não veio até aqui negociar, veio transmitir uma mensagem. Se esse era todo o conteúdo dela, creio que nossos assuntos estão encerrados.- Continuei olhando para ela, esperando suas últimas palavras antes de partir, ou um termo para negociação.




-OFF:
Spoiler:
Gostaria de saber se tenho algum contato ou endereço para falar com o Garou que me enviou até aqui.
avatar
Midnight

Mensagens : 136
Data de inscrição : 09/01/2015

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Yuri Brachiev - O Corruptor. -- CONCLUIDO

Mensagem  Daniel Ramone em Qua 28 Jan 2015 - 22:42

Off: Estou considero que por seu alto nível de Raça Pura, você tenha um bom contato com sua tribo na Rússia, sabendo onde encontrá-los e em quem confiar certos assuntos.

--------------------------------------------------

- Não é questão de confiança ou falta dela, mas sim de interesse mútuo. - A mulher lembra.

Você finalmente lha dá as costas, aceitando relutantemente a sugestão de Ivana. Quando diz suas últimas palavras a ela, Ivana responde:

- Nossos assuntos só acabam quando a adaga for entregue. Estarei aqui amanhã à meia-noite para saber quais serão as suas providências, e quem sabe auxiliá-lo. Por favor, não se atrase.

Compelido a encontrar as respostas para suas dúvidas, você retorna à seita da Neve Prateada, lugar onde foi informado sobre o contato dos Andarilhos do Asfalto. O caern que eles protegem fica no interior de um grande anfiteatro erguido num bairro Russo afetado demais pela depressão para que os locais se interessem pelos seus espetáculos. Por isso os únicos a frequentar o lugar são Parentes e Garous interessados em peças teatrais que os membros organizam todas as semanas. Aquele era um Caern da Cura, abençoado pelo Grande Falcão e liderado por uma Anciã que parecia jovem demais para o posto aos olhos de qualquer um.

- Rainha-dos-Loucos permite a sua entrada, Sangue-do-Dragão. - Informa o vigia, abrindo os portões do grande anfiteatro para você.

Anastázia Rainha-dos-Loucos, era uma Ragabash anciã dos Presas de Prata. O nome justificava seu comportamento, pois ela nunca demonstrava uma personalidade própria, estava sempre envolvida de corpo e alma com a próxima personagem que viria a interpretar, e esse comportamento seguia até nos momentos mais sérios como rituais e assembleias. Semana passada, quando você a conheceu, ela era Joanna D'arc, e quando você falava com ela, a anciã lhe respondia com palavras firmes e cheia de idealismos. Mas desta vez ela era Lady Macbeth, personagem de Shakespeare, e parecia taciturna, falando apenas por intermédio de sussurros enquanto olhava de modo paranoico para todos os cantos.

- Vamos para um lugar mais reservado, aqui as paredes não só têm ouvidos como garras e presas. - Ela murmura.

Aos seus cinquenta anos, Rainha-dos-Loucos ainda era uma mulher desejável, com longa cabeleira mesclando o loiro e o grisalho. O corpo era esguio, e estava metida num longo vestido roxo de época, cuja saia se arrastava pelo chão e fazia certo farfalhar, no entanto o busto era farto o bastante para fazer até os homens mais rígidos babarem por ela.

Juntos, vocês chegaram a um camarim que ela fazia de aposento, e lá ela trancou a porta a chave e fez questão de falar bem baixo para ter certeza de que ninguém ouviria a conversa de vocês.

- E então, resolveu nossas questões com os Andarilhos do Asfalto? - Ela perguntou.


- Vincenzo

- Gaspard

- Miranda

Ação
Fala
Off
Pensamento
avatar
Daniel Ramone
Senhores das Sombras
Senhores das Sombras

Mensagens : 443
Data de inscrição : 29/12/2013
Idade : 29
Localização : Pet Sematary

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Yuri Brachiev - O Corruptor. -- CONCLUIDO

Mensagem  Midnight em Qui 29 Jan 2015 - 0:53

Segura e inabalável, bem como em todo o restante da conversa, ela se dirige à mim em suas últimas palavras. Não era mais surpresa ouvi-la falar daquela forma, o que não tornava a cena mais confortável para mim. Enquanto me afastava do lugar de encontro, remoía a atuação vergonhosa que havia tido, sentia-me como um animal selvagem, em sua mais crua existência. Por mais que tentasse achar um ponto de vista pelo qual eu houvesse me saído bem, ele não existia. Restava apenas aceitar: eu havia sido subjugado. Saber que isso atrapalhou na conversa já não era acolhedor, mas imaginar o quanto me fez ter uma dose concentrada de frustração. O caminho até meu próximo destino foi longo.




Recebi sem muito ânimo a abertura dos portões pelo Vigia, ainda tentava reunir o que poderia ter conseguido de útil naquela conversa tentando deixar tais informações intactas por meu orgulho, mas aquilo parecia impossível, tudo devia ter ficado distorcido ao chegar em meus ouvidos. Esperava que o nome da Anciã tivesse um significado mais profundo do que era meramente aparentado, e que pudesse me ajudar em meio a minha confusão. Minhas esperanças não foram muito avivadas com os comentários dela, no entanto. Contudo, ela não haveria de ter o posto que possuía simplesmente pelo tamanho de seus seios, devia-lhe respeito e manter uma boa perspectiva em relação a mesma, até que ela mostrasse que o contrário fosse mais apropriado.

Começava a me acostumar com a nova personagem que ela agora incorporava, mas mantendo distância o suficiente para me ver longe daquele jogo, ouvia suas palavras com atenção, e começava a falar sem muito preparo aparente: -Creio que tudo o que trago hoje são informações distorcidas e perguntas, infelizmente. O que não significa que não possamos progredir logo.- Suspirei vendo o quanto precisaria falar e continuei: -Ivana Asintayeva, foi o nome que o contato me deu. Ela se identificou como uma Parente deles, mas a forma como ela me tratou não demonstrou em nenhum momento isso. Meu sangue, minha Tribo, meu Augúrio... Parecia que ela almoçava conversando com Ahrouns Presas de Prata durante os frenesis destes a cada final de semana. Fiquei realmente surpreso, e me questiono a respeito da identidade dela.- Depositei sobre a mulher um olhar inquisitivo, o qual deixei perdurar por alguns segundos esperando por respostas. Elas vindo ou não, prosseguia: -Segundo ela, meu ancestral Mãos do Macaco fez um acordo com um dos ancestrais de sua família, prometendo uma Klaive forjada pelo próprio para estreitar os laços entre as duas Tribos na Rússia.- Deixei que ela pudesse encorporar os fatos antes de prosseguir: -A história por si só já é bem estranha. Com as nuances que ela me contou beira ao ridículo. Por que os Presas de Prata presenteariam por boas relações os Andarilhos do Asfalto no território que lhes é sua casa? Por que haveria uma tensão tão grande em cima deste acordo, que poderia comprometer as relações entre os Presas de Prata e os Andarilhos do Asfalto além de manchar o nome de meu honrado antecedente?- Me contive ao perceber que minha irritação fazia com que eu elevasse o tom e aos poucos perdesse o fio da meada. Tentei manter a calma e voltei a falar de forma branda: -Aquela mulher fez acusações graves. E se recusou de forma veemente a me deixar ouvir de seus Garous tal história absurda, o que me parece nada além de covardia por parte deles. No entanto, não sou tão hábil quanto gostaria em ocasiões como essas.- Estranhamente, não me sentia desconfortável em assumir isso com ela, o que tornou mais fácil as palavras seguintes: -Espero que possa me guiar com sua sabedoria e conhecimento sobre o caso, afinal, não me enviou até lá por acaso.- Me preparava para ouvi-la, mas antes que suas palavras começassem a ressoar, falei de forma abrupta: -Ah, antes que eu me esqueça e lhe deixe com a impressão de que joguei tudo fora, ela me pediu para que a encontrasse a meia noite de amanhã, no mesmo local. Ainda há tempo para as coisas serem resolvidas da melhor forma possível.- Minhas últimas palavras embaraçosas acabaram por acabar com o clima que havia tentado criar. Não pela primeira vez no dia, me senti um idiota.
avatar
Midnight

Mensagens : 136
Data de inscrição : 09/01/2015

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Yuri Brachiev - O Corruptor. -- CONCLUIDO

Mensagem  Daniel Ramone em Qui 29 Jan 2015 - 11:43

Rainha-dos-Loucos o escuta com atenção, e quando ela era Joanna D'arc você sabia que ela faria um discurso forte, mas agora que ela era Lady Macbeth, você a vê refletir, calcular o que estava prestes a dizer.

- A forma como ela lidou com você não significa nada, afinal ela estava em uma posição muito confortável. Se você fosse hostil com ela, traria sérios problemas para a nossa tribo. Fez bem em ter aceito os termos dela. - Diz a Anciã.

Ela caminha de um lado para o outro, continuando a ouvi-lo com paciência. Então ela para e olha para você de um modo sério quando faz a pergunta.

- Vocês jovens parecem ainda não saber o que significa o Apocalipse.... - Diz ela, balançando a cabeça. - De fato, o território é teoricamente nosso, mas de que adianta fazer tanta questão dele quando não temos mais Garou suficiente para protegê-lo? Antes éramos tão numerosos que chegávamos a disputar entre nós mesmos cada esquina e cada ponto da Sibéria, mas agora.... Os Andarilhos são necessários, jovem Cliath, assim como os Roedores de Ossos, com quem vez ou outra me deparo. A praga vampírica já assola demais este pais, sem as outras tribos eles se espalhariam como um câncer.

Ela se cala, aproxima-se de uma penteadeira e bebe um copo de água que estava ali.

- Eu tinha 8 anos quando escutei a história do pacto que seu ancestral fez com os Andarilhos. Imagino quanto prestígio Mãos-do-Macaco deveria ter para em sua condição de Impuro negociar algo tão importante para o nosso povo. Você acha que os Andarilhos estão fazendo muito alarde, não é? Ameaçando assim o nome de seu descendente por causa de um simples fetiche.... Está enganado. Se pensa assim é porque menospreza o talento de Mãos-do-Macaco. Armas muito boas foram criadas por nosso povo ao longo das eras, mas o que o grande Impuro fazia não eram apenas armas, eram verdadeiras Obras-Primas! Os Andarilhos não vêem a promessa dele como uma simples adaga a municiar seus Ahrouns. Tanto eles como nós vemos aquela adaga como o simbolo da boa fé dos Presas de Prata para com os Andarilhos após tanto sangue derramado.

Novamente ela beberica a água no copo.

- É bom que não tenha arruinado nada. Encontre-se com a moça amanhã e seja solícito, mas jamais servil. Gostaria de mais informações sobre Mãos-do-Macaco? - Ela pergunta.


- Vincenzo

- Gaspard

- Miranda

Ação
Fala
Off
Pensamento
avatar
Daniel Ramone
Senhores das Sombras
Senhores das Sombras

Mensagens : 443
Data de inscrição : 29/12/2013
Idade : 29
Localização : Pet Sematary

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Yuri Brachiev - O Corruptor. -- CONCLUIDO

Mensagem  Midnight em Qui 29 Jan 2015 - 16:52

Chamá-la de sábia mostrou-se na menos do que justo, chegar a essa conclusão fora fácil diante das palavras que ouvi. Ela não era como a maioria dos velhos da Tribo, pensando bem, chamá-la assim seria até exagero, olhando para suas formas ainda graciosas, ela não se apegava a um mundo antigo, povoado por heróis mortos, ela olhava para a Guerra como ela se apresentava a nossa frente, e tive orgulho por saber que Anciões como ela ainda existiam em minha Tribo. Agora via que a forma como Ivana havia tratado o caso não era tão distante dos fatos, isso me reconfortou, ainda que ligeiramente. Independentemente de como as coisas haviam saído, agora tinha certeza que teria que vê-la novamente, e dessa vez estar muito mais impelido a ouvi-la, e guardar minhas garras para as gargantas certas. Repudiei a ideia de tê-la atacado, e imaginei se aquilo era a Besta rugindo em meu coração de Guerreiro, meramente, ou se a marca da minha vergonha começara a agir sobre mim. Lembrei-me do monstro que via em meus pesadelos, e me determinei a continuar mantendo o controle sobre mim mesmo, independentemente do que houvesse, enquanto defendendo o bem do Povo.

Apesar das histórias que havia ouvido sobre Mãos do Macaco, a Ragabash parecia ter muito a me oferecer a respeito de quem ele fora. De fato deveria ser uma figura interessante, um Impuro que consiga escrever seu nome na história dos Presas de Prata deve ter no mínimo esse adjetivo, mesmo que fosse integrante do passado recente de nossa Tribo. Acompanhava seus movimentos com quase tanta atenção quanto ouvia suas palavras, e concordava com a cabeça após seu questionamento enquanto dizia: -De fato não conheço tanto da história de meus antepassados quanto creio que deveria, isso inclui ele.- Naquele momento refleti sobre o quanto estava obstinado em superar os Garous que me renderam o sangue que tinha sob minhas veias, agora sentia como se isso houvesse feito deles menores para mim do que de fato haviam sido. Deixando esse assunto para ser analisado mais tarde continuei: -Ficaria grato em ouvir sobre quem foi este meu grande antepassado. E ainda mais se pudesse se aprofundar especificamente nesta Klaive a qual ele forjou. Teria alguma pista de onde ela esteja? Afinal, quão logo for possível, partirei para retomá-la.- Falava com afinco, mas de forma branda. A sinceridade era transparecida em minha voz, mas modelada agora por um respeito genuíno.
avatar
Midnight

Mensagens : 136
Data de inscrição : 09/01/2015

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Yuri Brachiev - O Corruptor. -- CONCLUIDO

Mensagem  Daniel Ramone em Qui 29 Jan 2015 - 21:34

- Quando perguntei se queria saber mais sobre seu descendente, não estava oferecendo exatamente a mim como oradora. Tudo que sei sobre ele é o que consta nos registros a respeito de sua fama. - Ela explica calmamente. - O que você precisa, tanto para esta demanda quanto para sua vida pessoal, é conhecer Mãos-do-Macaco de maneira mais intimista. Saber quem ele foi, o que representou para a nossa tribo e conhecer todos os seus passos até o dia de sua morte.

Ela novamente se aproxima da penteadeira, abrindo uma gaveta e retirando dela caneta e um bloco de papel amarelado. Ela escreve algo, arranca do papel e lhe entrega. Sua caligrafia não era muito boa, mas você compreendia que aquilo era um endereço de um terreno baldio alguns quilômetros a oeste de onde estavam.

- Este foi o único Caern que Mãos-do-Macaco defendeu quando era vivo. A seita de lá está se desfazendo, mas ainda há quem conte histórias sobre o grande Impuro. Vá imediatamente, mas tome cuidado no caminho, a área que separa nosso Caern deste é o que os cliaths costumam chamar de "Terra de Ninguém".


- Vincenzo

- Gaspard

- Miranda

Ação
Fala
Off
Pensamento
avatar
Daniel Ramone
Senhores das Sombras
Senhores das Sombras

Mensagens : 443
Data de inscrição : 29/12/2013
Idade : 29
Localização : Pet Sematary

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Yuri Brachiev - O Corruptor. -- CONCLUIDO

Mensagem  Midnight em Sex 30 Jan 2015 - 17:24

Ao passo que compreendia o que ela havia tentado me dizer a pouco, me perguntava o quanto ainda teria que suportar de situações como aquelas. No entanto, o alerta dela quanto a "Terra de Ninguém" me deixa genuinamente interessado em seguir adianta com aquilo. Por alguns momentos ponderei se ir pela Umbra não seria uma escolha mais sensata, já que ela dificilmente estaria me avisando isso daquela forma se não considerasse algo importante a ser exposto. Mas meu sangue Ahroun gritava mais alto, e a possibilidade de arrumar algo para ocupar meus punhos no trajeto me pareceu agradável, contando que eu ainda permanecesse inteiro para chegar no Caern, não haveria problema. Ao menos era o que eu acreditava.

Pegava o papel rabiscado com cuidado, analisando-o com cautela para me certificar de ler corretamente o que havia sido escrito ali. A falta de prática da minha parte aliada a falta de destreza da dela me rendera um momento embaraçoso, mas no final consegui interpretar sem maiores problemas. Após guardar o papel em um dos bolsos da calça, arrumei o casaco pigarreando, como se me preparasse para algo. Olhei com o mesmo respeito de pouco atrás e disse de forma franca:
-Anastázia-Rhya, agradeço-lhe pelas informações, pela hospitalidade e pelo Norte que me dera. Suas palavras me foram de grande auxílio, e ei de recompensar isso com meus atos. Honrarei nosso compromisso com os Andarilhos do Asfalto.- Com uma mensura me despedi: -Até logo.- Tinha a impressão forte de que ainda a encontraria, mas aquele não era um momento para pensar sobre isso, estava focado, e assim parti dali.




Meus passos eram largos porém calmos, deviam parecer um tanto estranhos, mas não me importava com isso. Com as mãos bagunçava os cabelos após deixar os domínios da Seita, ficando com um aspecto mais casual. Estava com o olhar atento conforme me aproximava da "Terra de Ninguém" a cada passo. Pensei em medir minhas palavras e planejar o que falar antes de estar onde me destinava, mas tinha mais do que o receio de encontrar problemas antes disso, era como uma esperança. Estava inquieto, sentia que eu havia tido uma escolha a fazer, e eu havia ido pelo caminho difícil. No final das contas, por mais estranho que pudesse parecer, tudo o que conseguia sentir era euforia por tê-lo feito, e acabei me deixando levar pelas expectativas na caminhada.
avatar
Midnight

Mensagens : 136
Data de inscrição : 09/01/2015

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Yuri Brachiev - O Corruptor. -- CONCLUIDO

Mensagem  Daniel Ramone em Sex 30 Jan 2015 - 21:44

Rainha-dos-Loucos pede que Gaia olhe por seu caminho, e o vigia do caern deseja que você retorne em breve. Mas você sabia que não seria tão fácil, podia sentir nos ossos que o perigo não estava distante e lhe espreitava. Estava agora no que parecia a parte mais pobre de toda a Rússia, onde moradores de rua se cobriam com cobertores mofados e se aquecia em latões de ferro onde fizeram fogueira. Aquelas pessoas tinham tão pouco e viviam em uma condição tão extrema que quase te fazia se envergonhar da vida de riquezas que levou um dia. Por onde quer que você caminhasse, os olhos deles repousavam sobre você, olhos melancólicos e inofensivos. Eles sabiam que você não pertencia àquele mundo miserável, mas não reclamavam por você estar ali. O mesmo aconteceria se algum deles passasse pelos lugares nobres que você visitou?

Porém, em determinadas ruas aquelas pessoas não ousavam se abrigar, nem mesmo frequentar. O que era estranho, pois por ali as construções geraram becos onde poderiam manter-se mais seguros e conservar melhor o calor de seus latões. Mas não, aquelas ruas eram tão vazias e silenciosas que até o passo dos gatos sobre os muros eram escandalosos para você. Olhando para uma direção qualquer, você vê um desses felinos curiosos te observando com seus olhos amarelos. Ele não parecia temer a sua presença, mas de repente seus pelos negros ficam eriçados, e ele entoa um miado expressando medo antes de fugir, acompanhado por sua gigantesca sobra na parede. A última coisa que o gato viu foi algo que estava atrás de você, e quando você olha, percebe a aproximação três jovens trajados de preto. Era um trio de adolescentes Punks, com calças de couro, camisas do Green Day e botas pesadas. Duas eram meninas, uma com cabelos pretos curtos, e a outra com um grande moicano vermelho. O outro era um rapaz totalmente careca, com brincos de cruz na orelha. Todos eram muito pálidos, e não pareciam se importar com o frio opressor que fazia naquele início de noite. Embora os humanos pudessem sentir e ter leves impressões sobre o que você era, aqueles três não demonstravam nenhum temor. Pelo contrário, sorriram satisfeitos quando puseram seus olhos de cores estranhas em você.

- Veja só, meninas, parece que encontramos o nosso alimento mais cedo do que previmos. - Disse o rapaz careca, e o sorriso perverso dele deixou a mostra caninos afiados que não se viam em pessoas comuns. - Peguem-no. - Ordenou.

As duas meninas também sorriram para você e começaram a se aproximar. Havia algo de estranho no modo como elas se moviam, eram velozes com pouco esforço e seus movimentos recriavam espectros de si mesmas. Com a proximidade, você sentia que o cheiro delas era azedo em seu nariz, um azedo único que só significava uma coisa: Corrupção.

Iniciativa:

1° Você
2° Os três jovens.


- Vincenzo

- Gaspard

- Miranda

Ação
Fala
Off
Pensamento
avatar
Daniel Ramone
Senhores das Sombras
Senhores das Sombras

Mensagens : 443
Data de inscrição : 29/12/2013
Idade : 29
Localização : Pet Sematary

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Yuri Brachiev - O Corruptor. -- CONCLUIDO

Mensagem  Midnight em Sab 31 Jan 2015 - 3:27

A paisagem aos poucos começava a mudar, a cada quarteirão deixado para trás parecia que a atenção do mundo para aqueles lugares diminuía. Não demorei para entender o motivo aquela região receber o nome que tinha. Olhando as pessoas que figuravam ali, a única Tribo que poderia ter um interesse verídico nos arredores seriam os Roedores de Ossos, mas até onde sabia eles não eram de recrutar muitos protetorados, não me surpreenderia se muitos deles estivessem espalhados em meio aqueles tantos olhos desolados. Aquela paisagem me fez ter um embrulho no estômago, agora convencido de que havia interpretado mal o que havia ouvido da Rainha dos Loucos, tudo aquilo não era justo, eu não precisava me perguntar algo assim, era claro demais, até mesmo para mim: "A existência humana podia atingir níveis de miséria tocantes, as vezes ditados simplesmente pelo berço onde se nasce..." Mantive o foco suspirando profundamente e deixando aquilo tudo de lado, aquela não era minha guerra, eu não tinha o que tentar compreender. Afinal de contas, se o Apocalipse não fosse vencido pela Nação, não importa o quão rica e igual toda a humanidade fosse, tudo seria revertido em trevas e sofrimento: "Deixe que os deuses deles façam seu trabalho. Eu farei o meu." Me conformei finalmente ao pensar naquelas palavras. Enganar a si mesmo não é tão difícil quando é conveniente.




Meu olhar já não era tão atento, não parecia ter muito o que se ver. Mesmo que minha percepção alertasse por algo estranho, estava determinado a deixar aquelas pontas soltas, segurá-las poderia me levar a mais pensamentos desnecessários, que por sua vez poderiam me levar à sabe-se lá Gaia onde. A segurança, eventualmente, é bem-vinda para mim. Geralmente eu não estou buscando por sangue quando isso ocorre. Afinal, por isso decidi seguir por aquele caminho, e por mais que eu já houvesse tirado minhas conclusões sobre o que encontraria até chegar em território Garou novamente, os fatos se mostravam bem distantes das minhas conclusões precipitadas. Eu poderia dizer que estava surpreso quando eles avançaram, poderia dizer que estava receoso ou mesmo inseguro. Mas eu estava apenas eufórico. O instinto de um Lobo costuma ser mais verídico que o raciocínio de um Homem. Bom, ao menos era o meu caso desde alguns anos, e em momentos como aquele eu sentia-me simplesmente orgulhoso por esse fato.

Em um primeiro instante cogitei a possibilidade de serem apenas marginais a procura de encrenca. Mas em um detalhe após o outro fui notando que o caso era mais complicado, e as peças foram se encaixando a medida em que eu permiti que minha cabeça se desse ao trabalho de executar esse processo. O ponto mais propício, até então, que havia visto nas redondezas para comportar grupos de moradores de rua era aquele, e ainda assim estava vazio. A possibilidade de uma gangue barra pesada agir constantemente ali seria a primeira possibilidade lógica, mas malandros comuns não costumam possuir presas, muito menos daquele tamanho. Olhei os arredores enquanto ouvia aquela conversa estranha, a ideia de alguém querer se banquetear de mim soava quase engraçada de tão ridícula, mas não havia motivo para sorrir, eu estava diante de criaturas repugnantes. Por mais que não soubesse do quê se tratavam, o cheiro era forte o suficiente para sentir que deviam ser combatidas, e elas apenas confirmam isso avançando em minha direção.

A velocidade das garotas me faz avaliar que eu deveria lutar com seriedade, eles pareciam me julgar como um humano comum, o elemento surpresa deveria me ajudar a ser mais efetivo em minha investida. Dois passos para trás foram dados de modo a parecerem instintivos, mas apenas queria me certificar da distância entre nós e do espaço de tempo que levariam até chegar em mim. Assumir uma forma extravagante para os padrões de uma cidade poderia me causar inúmeros problemas -desde a perda das roupas até o rasgar do Véu- diante disso optei por passar instantaneamente para Glabro
[1 Ponto de Fúria] e recepcioná-las com uma sequência de quatro socos [Ação Padrão + 3 Pontos de Fúria] assim que estivessem em meu alcance físico. O uso da Fúria era uma ferramenta que eu via com muita naturalidade, a repulsa diante de criaturas corrompidas tinha um significado singular para mim, eu lembrava desse cheiro, era o fedor que sentia antes da morte do meu pai. Eu limparia aquelas coisas da face de Gaia, elas estariam mortas antes de ouvirem uma palavra da minha boca.




-OFF:
Spoiler:
Como não sei o que são VAMPIROS! estou interpretando com certa arrogância, então provavelmente vou levar uns sopapos para agir de verdade.  Os golpes serão totalmente focados em uma das duas garotas, a menos que esta fique incapacitada ou morta no processo, diante disso irei transferir os ataques para a outra.
avatar
Midnight

Mensagens : 136
Data de inscrição : 09/01/2015

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Yuri Brachiev - O Corruptor. -- CONCLUIDO

Mensagem  Daniel Ramone em Sab 31 Jan 2015 - 8:03

Ao ver as criaturas seu sangue fala mais alto, e você salta para o combate, passando para a forma Glabro no processo. Seus músculos incham, rasgando um pouco suas roupas, os pelo fazem cócegas enquanto crescem por todo o seu corpo e você consegue sentir sua pele engrossar, inclusive a de sua face, que o deixa com uma eterna expressão carrancuda.

As meninas eram rápidas, mas você não era das criaturas mais lentas, conseguiu avançar sobre a de cabelos curtos e tentou golpeá-la com um soco.

Primeiro Ataque:
Yuri rolou 8 dados com dificuldade 6 para atacar a criatura: 5, 6, 1, 2, 6, 10, 5, 9 (Dado de especialização: 3) = 3 sucessos.

Yuri rolou 6 dados com dificuldade 5 para medir o dano: 6, 1, 4, 9, 7, 5 = 4 sucessos.

Primeira Garota: Absorção: 2 sucessos.


Seu soco parecia tão potente!, mas quando a acerta o maxilar dela, é como acerta uma estátua de pedra. O golpe lhe causou estrago, tanto que ela cospiu algum sangue, mas não o estrago esperado, e por isso você usou sua fúria para compensar isso.

Segundo Ataque:
Yuri rolou 8 dados com dificuldade 6 para atacar a criatura: 8, 2, 8, 10, 2, 4, 3, 10 (Dados de especialização: 1, 6) = 4 sucessos.

Yuri rolou 6 dados com dificuldade 4 para medir o dano: 1, 9, 1, 8, 9, 4 = 4 sucessos.

Primeira Garota: Absorção: 1 sucesso.

Quando o segundo soco atingiu o nariz dela, você ouviu ossos se quebrarem e o sangue frio da garota manchar seus dedos. Este golpe foi mais poderoso do que o último, mas ainda não era digno de um Ahroun como Yuri Brachiev. O terceiro golpe tinha de ser melhor, ou você se veria em problemas ao lutar sozinho contra aqueles três.

Terceiro Ataque:
Yuri rolou 8 dados com dificuldade 6 para atacar a criatura: 7, 6, 2, 10, 1, 4, 6, 9 (Dado de especialização: 5) = 4 sucessos.

Yuri rolou 6 dados com dificuldade 5 para medir o dano: 9, 8, 8, 7, 5, 2 = 5 sucessos.

Primeira Garota: Absorsão: 2 sucessos.


Ainda não foi o que você poderia chamar de bom soco, mas deu para o gasto. A garota estava agora estirada sobre o chão gelada, a face completamente desfigurada por seus golpes, mas será que ela ficaria ali por muito tempo? Enquanto isso a outra garota de grande moicano estava perto o bastante para pegá-lo de surpresa caso seu último golpe ainda fosse dirigido à primeira menina, mas você a percebe à tempo de atacá-la antes.

Quarto Ataque:
Yuri rolou 8 dados com dificuldade 6 para atacar a criatura: 9, 8, 4, 3, 2, 6, 3, 10 (Dado de especialização: Cool = 4 sucessos.

Yuri rolou 6 dados com dificuldade 5 para medir o dano: 2, 8, 9, 6, 5, 2 = 4 sucessos.

Segunda Garota: 1 sucesso.

A velocidade dela e a sua força criaram um impacto terrível para a garota. O soco a atingiu em cheio, derrubando-na. Mas de modo algum a matando.

- Mara! - Rapaz grita, alguns passos distante.

E enfurecido, ele vem em sua direção, tentando golpeá-lo com os mesmos socos com que você atacou suas parceiras.

Ataque do Vampiro:
Rapaz: Ataque: 2 sucessos. Dano: 2 sucessos.

Yuri rolou 4 dados com dificuldade 6 para absorver o dano: 7, 9, 5, 9 = 3 sucessos.

O punho dele atinge seu peito, mas embora com força o bastante para o choque ser ouvido à distância, você nada sente. Uma criança teria lhe golpeado com mais força. Olhando para o lado, você vê a primeira vampira ainda desmaiada, porém se regenerando. Já a outra que você havia acabado de atacar está de pé novamente.


Off:
off: Sobre alguns critérios que costumo usar em minhas narrações que apareceram neste post:

- 6 é uma dificuldade padrão para ações normais em batalha, como socos, chutes e golpes comuns baseados em Briga. Outros tipos de golpes mais criativos terão sua dificuldade aumentada ou diminuída, dependendo da situação.

- Não costumo somar sucessos dos testes de ataque aos testes de dano. Isso poderia ser vantajoso para você, assim como poderia muito bem te matar (e não é essa a minha intenção). No entanto, considero que cada resultado 10 em testes de ataque, diminui em 1 a dificuldade para medir o dano.

- Por ação, só é possível gastar apenas metade do seu nível normal de Fúria.



- Vincenzo

- Gaspard

- Miranda

Ação
Fala
Off
Pensamento
avatar
Daniel Ramone
Senhores das Sombras
Senhores das Sombras

Mensagens : 443
Data de inscrição : 29/12/2013
Idade : 29
Localização : Pet Sematary

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Yuri Brachiev - O Corruptor. -- CONCLUIDO

Mensagem  Midnight em Sab 31 Jan 2015 - 15:54

A cada golpe desferido meu corpo respondia em furor, por mais que ainda estivesse passado apenas para Glabro, a dor fresca do partir parcial de meus ossos e o expandir desumano da minha musculatura me fazia vibrar com ainda mais intensidade ao momento, no entanto meus adversários não pareciam dignos de muito esforço, e isso me descontenta. Meus socos não eram a mais confiável das armas que tinha, no entanto eles costumavam ser minimamente decentes, ver uma das criaturas suportar três deles antes de cair me fez ter certeza que estava fazendo de fato meu trabalho, e não apenas vendendo meu tempo ao gosto da batalha, ter um propósito revigora meu entusiasmo para acabar com os três ainda mais rápido, e agora com todos próximos eu pretendia tornar o fim deles eminente.

Meus dentes, agora protuberantes, foram mostrados de forma ameaçadora ao receber o soco do macho do grupo, um sorriso de deboche que criara aspecto distorcido naquela forma. O convencimento daquele miserável vertido em desespero me agradaria muito mais que sua raiva do momento, eu trataria de livrá-lo daquela existência pífia, mas antes faria com que ele encontrasse um pouco do sofrimento que certamente havia submetido outros. Minha postura era desleixada, mas meus punhos permaneciam cerrados, com eles assim avancei sobre os dois que ainda se punham de pé. Meu primeiro alvo seria a mulher de moicano, tentaria aproveitar o fato de já ter ferido ela, atacaria novamente com a mesma quantidade de socos
[Ação Padrão + 3 Pontos de Fúria] diretamente em sua face, bem como fizera com sua companheira, e só após me certificar de deixá-la no chão também avançaria contra o líder do grupo. Tomaria uma atenção especial para sempre manter os três em meu raio de visão, ser flanqueado me parecia a única forma de sofrer algum dano por aquelas criaturas.




-OFF:
Spoiler:
Poderia me informar qual o sistema que irá usar para a recuperação de Fúria?
avatar
Midnight

Mensagens : 136
Data de inscrição : 09/01/2015

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Yuri Brachiev - O Corruptor. -- CONCLUIDO

Mensagem  Daniel Ramone em Sab 31 Jan 2015 - 22:07

Embora estivesse frente a frente com o rapaz, Yuri dá as costas ao jovem punk e novamente concentra seus ataques na segunda garota que o atacou. Talvez, se o jovem não estivesse tão perplexo pelo golpe falho, teria aproveitado a situação para atacar o Garou naquele momento.

Primeiro Ataque:
Yuri rolou 8 dados com dificuldade 6 para socar a criatura: 8, 7, 2, 5, 9, 1, 3, 10 (Dado de especialização: 7) = 4 sucessos.

Yuri rolou 6 dados com dificuldade 5 para causar medir o dano: 4, 6, 8, 4, 4, 2 = 2 sucessos.

Segunda Garota: Absorção: Nenhum sucesso.

Seu soco explode na cara da garota, quebrando o maxilar dela. Devido ao impacto, ela cambaleia um pouco tonta, e você aproveita este momento para atacá-la mais uma vez.

Segundo Ataque:
Yuri rolou 8 dados com dificuldade 6 para socar a criatura: 3, 5, 7, 8, 8, 1, 2, 1 = 1 sucesso.

Yuri rolou 6 dados com dificuldade 6 para causar medir o dano: 9, 2, 4, 1, 3, 5 = 1 sucesso.

Segunda Garota: Absorção: 2 sucessos.

Estava fácil demais, e por talvez por isso você tenha perdido um pouco da concentração. O que aconteceu foi que enquanto você mirava a face da garota, ela cambaleou para o outro lado, fazendo com que você a atingisse apenas de raspão. A frustração foi tanta que você tentou um novo ataque.

Terceiro Ataque:
Yuri rolou 8 dados com dificuldade 6 para atacar a criatura: 2, 1, 5, 7, 10, 9, 10, 3 (Dados de especialização: 5, 7) = 4 sucessos.

Yuri rolou 6 dados com dificuldade 4 para medir o dano: 5, 6, 7, 5, 8, 8 = 6 sucessos.

Segunda Garota: Absorção: 1 sucesso.

Nada como um pouco de raiva para lembrar a um Ahroun de suas capacidades, não é mesmo? Yuri acerta seu melhor jab de direita na cara daquela garota, atirando-a ao chão com violência, e de lá ela não se levantou mais. E como se fosse um deja vu, viu novamente que seria atacado pelas costas após derrubar uma das criaturas, só que desta vez era o rapaz.

Quarto Ataque:
Yuri rolou 8 dados com dificuldade 6 para atacar a criatura: 5, 1, 5, 6, 4, 10, 10, 1 (Dado de especialização: 2) = 1 sucesso.

Yuri rolou 6 dados com dificuldade 5 para medir o dano: 6, 1, 1, 4, 3, 10 = 2 sucessos.

Rapaz: Absorção: 2 sucessos.

Agora foi a vez dele de rir de seu ataque malfadado. Seu soco bateu bateu no ombro do rapaz, e ele nada sentiu. Assim teve força o suficiente para atacar você.

Ataque do Rapaz:
Rapaz: Ataque: 1 sucesso. Dano: 4 sucessos.

Yuri rolou 4 dados com dificuldade 6 para absorver o dano: 4, 8, 8, 10 = 3 sucessos.

Foi um dano ínfimo, nada mais do que um arranhão em sua face, mas também significava uma lembrança de que até um grande guerreiro poderia perder caso não lutasse à sério e com tudo que tinha. Enquanto você ainda lamentava o ataque da criatura, podia ver pelo canto dos olhos que a primeira garota que você havia derrubado começava a se levantar, com dificuldade, é verdade, mas lá estava ela de pé novamente.

Off:
off: Uso a regra básica, recupera sofrendo danos massivos, falhando em ataques ou sofrendo qualquer tipo de frustração. No caso você já gastou 7 pontos de Fúria, no entanto já recuperou 2, estando com 3 atualmente.


- Vincenzo

- Gaspard

- Miranda

Ação
Fala
Off
Pensamento
avatar
Daniel Ramone
Senhores das Sombras
Senhores das Sombras

Mensagens : 443
Data de inscrição : 29/12/2013
Idade : 29
Localização : Pet Sematary

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Yuri Brachiev - O Corruptor. -- CONCLUIDO

Mensagem  Midnight em Dom 1 Fev 2015 - 3:22

Meus golpes continuavam a fluir, e o primeiro que havia deixado passar em branco até então apenas me motivou para o seguinte, que atingira uma das fêmeas com extrema precisão. De fato sentia o fim do combate se aproximar, havia deixado muito de minha ira se abater sobre as criaturas, e sentia o pulsar do Lobo sob minha pele, ensandecido por ter sido atiçado de forma tão brusca. Não haviam se passado muitos segundos desde que havia começado aquela luta e eu já sentia que ela estava acabada, meu segundo alvo havia caído, me viro para o último com desdém e desfiro um golpe na margem do ridículo. Isso era o suficiente para me dar mais um motivo para arrancar o crânio daquele desgraçado, mas ele tinha que piorar as coisas para o seu lado. Seu sorriso me faz franzir o cenho, e ignoro completamente o arranhão que havia sofrido, mesmo em minha forma natural não teria problema alguma para me recuperar daquilo. Meus olhos estavam fixos na presa, o Lobo uivava, a hora de acabar com aquilo de uma vez havia chegado.

Sem palavras, sem pensamentos, apenas o objetivo fixo em minha mente. Com a devida seriedade agora abria os braços em um ângulo comedido, formando com eles uma espécie de "V" de cabeça para baixo. Me concentrava naquela parte do meu corpo e tentava trazer as garras de minha forma Crinos para as mãos por meio de uma Transformação Parcial
[Ação Padrão + 1 Ponto de Força de Vontade] logo em seguida avançando sobre o homem, ignorando a mulher que agora se levantava. Meus três ataques teriam um endereço pré-fixado: o pescoço da criatura. Tentaria decapitá-lo com uma sequência de três golpes [3 Pontos de Fúria] e só iria dirigir os ataques à mulher caso o derrubasse definitivamente antes do terceiro ataque. Minha expressão era séria, minha postura firme e meu olhar implacável: naquela noite, para eles, não haveria salvação. Eu me certificaria disso.




-OFF:
Spoiler:
Caso a Transformação Parcial não seja bem sucedida, pode tratar os golpes como socos normais.
avatar
Midnight

Mensagens : 136
Data de inscrição : 09/01/2015

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Yuri Brachiev - O Corruptor. -- CONCLUIDO

Mensagem  Daniel Ramone em Dom 1 Fev 2015 - 6:48

Vendo que seus punhos não são o bastante para acabar com aquelas criaturas, Yuri decide transformar-se parcialmente, adquirindo as garras de sua forma Crinos.

Transformação:
Yuri rolou 5 dados com dificuldade 7 para uma transformação parcial: 9, 6, 8, 8 + 1 sucesso extra = 4 sucessos.

Feito. As garras crescem nos dedos do Glabro, e com isso ele é capaz de causar um estrago muito maior em seus inimigos. Assim ele parte para cima do rapaz, visando o pescoço da criatura.

Primeiro Ataque:
Yuri rolou 8 dados com dificuldade 7 para atacar a criatura: 4, 3, 1, 10, 4, 3, 4, 3 = Nenhum sucesso.

Yuri ataca, mas a criatura desvia, rindo da cara do Garou e incitando sua raiva. Mas o Presa de Prata também é rápido e novamente tenta um golpe.

Segundo Ataque:
Yuri rolou 8 dados com dificuldade 7 para atacar a criatura: 6, 1, 7, 1, 1, 10, 2, 3 = Falha crítica.

Yuri novamente ataca, e novamente o rapaz esquiva, rindo ainda mais alto do Garou. Desta vez o ataque mal executado custou caro a Yuri, ele tropeça nas próprias pernas e cai de peito sobre o chão. Que situação para um Ahroun... Usando sua última ação para se levantar, Yuri vê a outra garota que derrubou começar a se levantar também. No entanto, só o rapaz o ataca desta vez, tentando chutá-lo com toda a sua força.

Rapaz: Ataque: 4 sucessos. Dano: 3 sucessos.

Yuri rolou 4 dados com dificuldade 6 para absorver dano: 2 sucessos.

Mais uma vez a criatura o acerta, um chute cuja ponta de sua bota acertou-lhe o queixo. Em meio a uma ira que está se reacendendo em seu peito, Yuri começa a pensar se é mesmo boa ideia lutar contra 3 criaturas em sua forma Glabro.


Status - Yuri - Glabro:
Escoriado - Contusivo
Machucado
Ferido
Ferido Gravemente
Espancado
Aleijado
Incapacitado

Fúria 3
Força de Vontade 8
Gnose 3


- Vincenzo

- Gaspard

- Miranda

Ação
Fala
Off
Pensamento
avatar
Daniel Ramone
Senhores das Sombras
Senhores das Sombras

Mensagens : 443
Data de inscrição : 29/12/2013
Idade : 29
Localização : Pet Sematary

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Yuri Brachiev - O Corruptor. -- CONCLUIDO

Mensagem  Midnight em Seg 2 Fev 2015 - 10:15

Aquilo só podia ser brincadeira! Não acreditava no que estava passando, nem sequer havia conseguido encostar no desgraçado, e agora uma de suas comparsas estava erguida novamente. Não podia deixar de considerar a possibilidade da outra também se levantar em breve, e se continuasse sendo mal sucedido assim em meus golpes eu poderia encarar problemas de verdade. Eu continuaria raciocinando logicamente, e encontrar uma saída mais sútil, mas aquela rizada ecoou por meu cérebro, tão alto ao ponto de tornar inaudível meus pensamentos, tão alto para que meus dentes rangeram ao se apertar, e o único som que sobrepujou esse canto de zombaria foi o de meus ossos se quebrado.

Em um piscar de olhos eu estava vendo as criaturas cada vez mais abaixo, eu realmente ficava enorme após estar em minha forma Crinos
[1 Ponto de Fúria] e não tinha mais nada em mente, apenas queria destruí-los, a todo custo. Tão logo estava em minha forma guerreira, usei uma sequência de dois ataques [2 Pontos de Fúria] com as imensas garras, agora munidas de uma força muito mais expressiva do que minha forma Glabro, certamente seriam bem mais efetivas. Minhas presas estavam expostas, meu corpo agora era sobreposto apenas pelos farrapos do que em algum momento fora minhas roupas, e minha Fúria sentia a plenitude da forma com a qual ela fora feita para se deleitar. Meus músculos falariam e pensariam por mim dali a diante, até estar acabado.


Última edição por Midnight em Seg 2 Fev 2015 - 13:27, editado 1 vez(es)
avatar
Midnight

Mensagens : 136
Data de inscrição : 09/01/2015

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Yuri Brachiev - O Corruptor. -- CONCLUIDO

Mensagem  Daniel Ramone em Seg 2 Fev 2015 - 11:25

Você devido à falha, você começa a rosnar sem controle. Estava próximo de um frenesi selvagem, mas seu auto-controle era grande o suficiente para segurá-lo nesse momento. Por enquanto. Graças à Fúria, seu corpo cresce para a forma Crinos, e essa transformação faz os três jovens hesitarem. Logo você avança sobre o rapaz, desferindo ataques com suas garras.

Primeiro Ataque:
Yuri rolou 9 dados com dificuldade 6 para atacar: 6, 3, 6, 1, 5, 3, 7, 4, 6 = 3 sucessos.

Yuri rolou 8 dados com dificuldade 6 para medir o dano: 2, 6, 5, 6, 6, 4, 9, 8 = 5 sucessos.

Havia uma diferença nítida nos ataques entre as duas formas. Na forma Crinos era mais fácil e muito mais rápido, tanto que suas garras atingiram a criatura de modo tão violento que abriu-lhe o peito e a fez trocar as gargalhadas por um horrendo grito de dor. Mas logo viria o seu segundo ataque para calá-la:

Segundo Ataque:
Yuri rolou 9 dados com dificuldade 6 para atacar: 3, 8, 6, 6, 3, 10, 6, 2, 2 (Dado de especialização: 2) = 5 sucessos.

Yuri rolou 8 dados com dificuldade 5 para medir o dano: 8, 9, 9, 9, 7, 8, 5, 10 (Dado de especialização: 8 ) = 9 sucessos.

Seu segundo ataque mostra do que você é capaz. Foi simplesmente perfeito, e você mau sentiu a dureza da carne daquele infeliz. O retalhou tão bem que ninguém diria que o que restou dele era um corpo. As meninas, que já estavam assustadas, começam a correr mancando devido as feridas que você já havia causado a elas.


- Vincenzo

- Gaspard

- Miranda

Ação
Fala
Off
Pensamento
avatar
Daniel Ramone
Senhores das Sombras
Senhores das Sombras

Mensagens : 443
Data de inscrição : 29/12/2013
Idade : 29
Localização : Pet Sematary

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Yuri Brachiev - O Corruptor. -- CONCLUIDO

Mensagem  Midnight em Seg 2 Fev 2015 - 16:36

O som dos gritos foi o mais gratificante, abafá-los da forma como havia feito foi apenas a cereja no bolo, o último elemento para me satisfazer com o trabalho que havia feito Ver o quão arrasadora minha forma Crinos era mesmo para criaturas como aquela me revigora, o ânimo de ver o idiota destroça me serve de impulso, e parto em perseguição as garotas sem pensar duas vezes. Deixá-las ir muito longe poderia ser um problema, e eu já havia me estendido o bastante ali, era hora de terminar o trabalho, e o pavor delas não revelava outra coisa além do inevitável: eu seria implacável, e não deixaria que ninguém saísse dali.

Usei o apoio dos braços para tentar adquirir mais velocidades ao perseguir minhas presas, o cheiro de sangue corrupto fresco me servia de combustível para dar um impulso extra a cada grupo de passadas. Tentaria derrubar ambas e impedir as mesmas de prosseguir correndo
[Manobra Incapacitar] com um ataque de garras em cada uma, caso conseguisse alcançá-las, do contrário continuaria no encalço das criaturas.




-OFF:
Spoiler:
Usarei Ações Múltiplas caso consiga alcançar as Vampiras, dividindo minhas paradas de Dados para realizar todas as ações citadas.
avatar
Midnight

Mensagens : 136
Data de inscrição : 09/01/2015

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Yuri Brachiev - O Corruptor. -- CONCLUIDO

Mensagem  Daniel Ramone em Seg 2 Fev 2015 - 22:03

Off: Você ainda tem mais uma ação do último post, só esperei para ver qual seria sua escolha ao ver as garotas correrem. Também não uso divisão de paradas de dados.

Você havia eliminado o "cabeça" do trio, posto um fim naquela luta, mas ainda não estava satisfeitos, as garotas também deviam ser eliminadas.

Ataque:
Yuri rolou 9 dados com dificuldade 8 para Manobra Incapacitar: 6, 7, 4, 7, 2, 8, 7, 8, 7 = 2 sucessos.

Yuri rolou 8 dados com dificuldade 6 para medir o dano: 7, 2, 6, 2, 7, 1, 2, 2 = 3 sucessos.

Yuri crava as presas na perna esquerda da garota, mas encontrou alguma dificuldade, já que ela estava em movimento intenso e a feriu apenas o suficiente para diminuir bastante seu deslocamento. Mas Yuri ainda queria as duas, então avançou sobre a outra.

Ataque:
Yuri rolou 9 dados com dificuldade 8 para Manobra Incapacitar: 6, 5, 8, 5, 2, 9, 5, 9, 3 = 3 sucessos.

Segunda Garota: Esquiva: 3 sucessos.

Após ter pego a primeira, a segunda ficou em estado de alerta, e conseguiu saltar e rolar para frente a tempo de escapar de suas presas. Ela se levanta e começa a fugir de novo, enquanto a outra manca miseravelmente próxima você.


- Vincenzo

- Gaspard

- Miranda

Ação
Fala
Off
Pensamento
avatar
Daniel Ramone
Senhores das Sombras
Senhores das Sombras

Mensagens : 443
Data de inscrição : 29/12/2013
Idade : 29
Localização : Pet Sematary

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Yuri Brachiev - O Corruptor. -- CONCLUIDO

Mensagem  Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 1 de 4 1, 2, 3, 4  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo


 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum