Philodox: Meia Lua – Guardião dos Caminhos

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Philodox: Meia Lua – Guardião dos Caminhos

Mensagem  The Grand Wizard [Passo] em Dom 10 Abr 2011 - 17:10


Philodox: Meia Lua – Guardião dos Caminhos


Enquanto a meia lua equilibra a luz e a escuridão, o Philodox percorre a linha entre lobo e homem, Fúria e Gnose, veneno e sabedoria. O Philodox é o mediador da matilha, aquele a quem os outros Garou pedem conselhos ou uma resolução justa para disputas. Sua honra costuma ser inquestionável. Como juiz, legislador e Mestre de Desafios, o Philodox não tem par.
Os Philodox costumam ser os melhores líderes de tribo; Luna lhes ordena seguir a trilha intermediária. Ao fazer isso eles se tornam o sustentáculo que equilibra o comportamento extremado de seus colegas de matilha Ragabash e Ahroun. Em tempos de guerra, um Galliard ou um Ahroun pode assumir o papel de comandante de guerra, inspirando o resto da matilha a feitos valorosos. Durante os tempos comparativamente pacíficos, porém, um Philodox de posto elevado costuma assumir o manto de líder. Os Philodox também alimentam seu centro espiritual, saboreando seus elos com a carne e o espírito. Em questões pessoais, eles costumam não se intrometer até que seja pedido seu conselho, mas intervêm imediatamente se identificam uma ameaça potencial à matilha.
Os Philodox representam as melhores qualidades dos Garou. Seu equilíbrio interno, porém, pode ser sua ruína.
Alguns Philodox da lua minguante tornam-se distantes e indiferentes; da mesma forma, muitos seguidores de luas minguantes possuem um senso de equilíbrio frágil e até mesmo deturpado. Como a trilha do equilíbrio é uma corda-bamba, manter o equilíbrio costuma ser uma tarefa sem esperança.

Fúria Inicial: 3

Dons Iniciais: Respeito do Ancião, Solução da Dúvida Interna, Resistir à Dor, Sabedoria da Lua, Faro para a Forma Verdadeira, Verdade de Gaia, Legado do Legislador, Sentir Pecado contra Gaia, Pena de Ma'at e Sinta a Natureza do Primitivo.

Renome Inicial: Honra: 3

Estereótipo: Os Philodox são conhecidos como sendo os Garou mais honrados, embora alguns sussurrem que eles são espertos demais para o seu próprio bem. Porém, todas as vezes que surgem problemas, todos procuram por um Philodox.

ASPECTOS
Um Aspecto é uma das variações do Augúrio. Todo Augúrio possui dois aspectos: Lua Crescente e Lua Minguante.
Aspectos não têm efeitos de jogo, são apenas guias para personalidade e as ações do Garou.

LUA CRESCENTE
Quando a meia Lua se mostra crescente, a Fúria do Garou que nasce sob ela é sempre mais agressiva. Filodox da lua crescente costumam ser bem mais abertos, diretos e agressivos, buscando punir severamente crimes e sendo sempre muito objetivos em seus atos. Eles conseguem respeito devido à sua severidade e sinceridade.

LUA MINGUANTE
A lua minguante, simbolizando o recuo da Fúria, marca os Filodox que nascem sob ela como sendo muito mais compreensivos e pacientes. Eles são mais misteriosos e calmos, costumam esperar antes de julgar alguém e normalmente escondem suas decisões até a hora apropriada.

Citação: Esqueçam isso! Vocês dois estão loucos? Lutar entre si não leva a lugar nenhum! Agora ouçam: vamos sentar e resolver essa história. Gringoth não poderá fazer nada por Gaia se estiver tratando de um ferimento no fígado. Não quero mais interrupções. Quero ouvir tudo desde o começo. E não tentem mentir para mim...
avatar
The Grand Wizard [Passo]
Admin
Admin

Mensagens : 1891
Data de inscrição : 24/12/2010
Idade : 27
Localização : Pra lá de Além Paraiba

Ver perfil do usuário http://lobisomemoapocalipse.livreforum.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Philodox: Meia Lua – Guardião dos Caminhos

Mensagem  The Grand Wizard [Passo] em Dom 21 Abr 2013 - 15:14

ASSEMBLEIA

Os fogos da Assembleia crepitavam sob a luz de Luna, que se encontrava dividida meio a meio no céu. Metade da Lua era iluminada, irradiando luz sobre os Garou ali presentes. A outra metade foi oculta em trevas. Era a vez de Roberto se posicionar entre os Anciões. Aquele era o momento em que ele iria mostrar o que tinha aprendido com seu mentor. Se passasse neste teste, ele estaria pronto para seu Rito de Passagem.
— O que você é, Filhote? — perguntaram os Anciões — sob qual face Luna sorriu enquanto você nascia, e qual a missão que o espera?
O Filhote hesitou a princípio, um tanto nervoso... mas então juntou coragem para falar, e respondeu aos Anciões.

LUZ E TREVAS

Eu sou Filodox. Nasci sob a meia lua e esta noite mais uma vez Luna sorri com a mesma face com a qual me viu nascer. Como a lua neste momento, estou dividido entre as trevas e a luz, e ambos os lados se põem igualmente diante de mim.
— E o que isso realmente significa? Significa que devo ser imparcial e observar a tudo o que nos rodeia, que devo ser justo, que devo dar valor a todos os lados de uma questão, que sou apto a julgar as questões que dividem nossa Nação e nossa raça, que devo aplicar justiça aos culpados. Significa que sou a justiça de Gaia.



— E como pretende manter-nos longe da corrupção? Eu devo vigiar meus amigos e companheiros, minha matilha e minha Seita. Não vigia-los como se fossem inimigos, mas sim estar atento para ajuda-los quando suas convicções se enfraquecerem. Eu devo observa-los em busca de quebras de nossa sagrada Litania. Desta forma, saberei quando estarão se afastando de Gaia.
Ainda assim, não devo apenas vigia-los. Devo guia-los em suas questões morais. Devo ser amigo ao aconselha-los, devo ser juiz ao adverte-los. É preciso ser severo quando notar que um companheiro está se voltando lentamente para a Corruptora.

A LITANIA

— E como pode ter certeza que você não se corromperá? Devo sempre seguir a Litania e, para isso, preciso estuda-la e lembra-la. Cabe a mim guardar seus ensinamentos e segui-los. Como Filodox, não posso fraquejar, devo manter-me no caminho de Gaia, e apenas com o conhecimento de suas leis serei capaz de fazê-lo.
Mas, além de conhecer e respeitar a Litania, devo me submeter ao julgamento de meus iguais e meus superiores. Devo estar sempre disposto a provar que sirvo a Gaia e não posso deixar de ouvir o que pensam de mim. Eu devo ser cego ao julgar os demais, para ser imparcial, mas devo abrir meus olhos na hora de julgar a mim mesmo, para ver minhas falhas e fraquezas.

OS JUIZES

— E como você deverá julgar os crimes, jovem Filodox?
Assim como a meia lua, devo ser imparcial e sempre observar as leis de Gaia. Interesses pessoais não devem mudar meu julgamento e devo sempre pensar no que será melhor para a Nação e para a Seita. Mesmo que seja controversa, minhas decisões serão aceitas se a Seita crescer com elas e prosperar.
Devo saber observar o que está oculto. Para isso, preciso ouvir os outros, saber de tudo antes de dar minha decisão. Preciso separar verdade de mentira e tentar entender o por quê de cada ato que julgo. Preciso saber as causas e consequências de cada ação, e tomar minha decisão de acordo com cada uma delas.
E, por fim, devo ser paciente, saber equilibrar homem e lobo dentro de mim, para que não me exalte. Devo usar o homem em mim para raciocinar e descobrir o que é melhor para todos, mas devo usar o lobo para ser direto e objetivo sem me deixar levar pelas intrigas humanas.

PACIFICADORES

— E quando há conflito e não crime? Por vezes há desentendimentos, brigas... duelos saem de controle ou acusações injustas são feitas.
Então eu devo ser mediador e pacificador. Devo estar atento aos conflitos que tentam fragmentar a Nação. Devo me dedicar a descobrir as discussões e desentendimentos antes que cresçam, e então buscar paz entre as partes.
É meu dever como Filodox cuidar para que a Nação e a Seita se mantenha unida. Devo ser os juiz nos duelos, o pacificador nas discussões, o revelador de falsas acusações. Preciso estar entre ambas as partes, assim como Luna se põe entre sombra e luminosidade, e devo tentar trazer igualdade e harmonia entre elas.
Bom, eu sei que isso nem sempre é possível... mas é preciso tentar. Se nunca tentarmos, estaremos permitindo que nossas diferenças fortaleçam a corruptora. Jamais podemos permitir isso.

QUESTÕES ESPIRITUAIS

— E quando os espíritos vêm a nós pedindo por justiça?
Por vezes, os Garou abusam de nossos maiores aliados, os espíritos. Embora sejam os Theurge quem apaziguam os residentes da Umbra e busquem forjar alianças com eles, nós somos aqueles que punem os Garou que traem esses pactos. Neste aspecto, temos que trabalhar em conjunto com os Theurge. Não somos os mais experientes com assuntos espirituais, logo precisamos dos místicos para nos guiarem.
Quando os pactos são traídos, os Theurge buscam apaziguar uma vez mais os espíritos, e nós, Filodox, punimos o infrator. Novamente, é preciso observar e vigiar. Há muitos Garou que abusam dos espíritos, prendendo-os em Fetiches sem a
necessidade, maltratando-os e extorquindo-os em troca de Dons, ou descumprindo nossas promessas de respeito para com a Umbra. Não podemos permitir isso! Caso os espíritos nos abandonassem, nós estaríamos totalmente perdidos na grande guerra e a Wyrm venceria.

PUNIDORES

— Como você pune aqueles que você julgou culpados?
Com aquilo que merecem. Aqueles que merecem são perdoados... mas isso é raro. É preciso punir, ainda que seja uma punição pequena, a grande maioria das transgressões, principalmente caso o Rito de Contrição não seja feito pelos culpados.
Eu entendo muito bem que certos crimes são passáveis.
Um Garou que foi tomado pela Wyrm em seu Frenesi e atacou sua matilha pode ser perdoado caso tenha se purificado e se redimido. Uma matilha que desobedeceu seu Alfa ou os Anciões podem ser perdoados caso tenham tido um motivo forte e justo.
Porém, outras transgressões merecem punição. É para isso que existem os rituais. Muitos ritos são ótimos para que o agressor da Litania aprenda pela humilhação, e muitas vezes o melhor é puni-los com trabalho e obrigações adicionais que eles não aceitariam em outras situações.
Punições mais pesadas caem sobre aqueles que cometem crimes graves. Os que compactuam com a Wyrm, os que ameaçam a segurança do Caern, os assassinos de seus semelhantes... todos eles merecem ritos mais severos. Em muitos casos, eles são declarados Ronin ou acabam mortos. Os corrompidos, porém, são tratados com a punição mais pesada. Ritos como os Dentes Vingativos de Gaia são os apropriados para esses seres, e que Gaia tenha piedade deles, pois nós não teremos.

ARTE DA GUERRA

— E você, jovem Filodox, é treinado nas artes da guerra?
Todos precisamos aprender a lutar. Estamos em guerra, não há como ignorarmos a necessidade de nos defendermos. Sejam trapaceiros, místicos, juizes, bardos ou guerreiros, todos precisamos nos preparar não só para as freqüentes batalhas, como para a grande guerra final do Apocalipse.
Nós, Filodox, não somos os maiores guerreiros. Mesmo os Ragabash ou os Theurge possuem maior participação numa batalha do que nós. Ainda assim, ainda temos a Fúria dentro de nós e temos de canaliza-la. Como não somos bons nem em surpresa nem em ajuda mística, nós ajudamos os Ahroun e Galliard no campo de batalha, com nossas garras e presas. Enquanto Ahroun são os primeiros a entrar em batalha, nós estamos logo em seguida, prontos para ajudar a enfraquecer o oponente.
Mas não é apenas durante a batalha que temos utilidade. Antes e após somos mais úteis. Nem sempre o inimigo é óbvio. A Wyrm busca ocultar seus propósitos e agentes muito bem. Embora os Ragabash sejam espiões, nós somos quem arrancam as verdades dos oponentes, seja antes ou após a luta. Ninguém, nem mesmo os da Wyrm, podem olhar nos olhos de um Filodox e mentir.

OS OUTROS

— E quanto aos outros Augúrios?
Cada um tem sua função perante Luna e Gaia. Cada Augúrio representa uma das cinco faces de Luna. Como mediadores, os Filodox conhecem profundamente as funções, qualidades e defeitos de cada um dos outros quatro Augúrios. Fui bem ensinado quanto aos caminhos de meus irmãos, e falarei de cada um deles.

RAGABASH
É preciso lembrar o valor dos trapaceiros, os Ragabash. De certa forma, os Ragabash são os maiores aliados dos Filodox. Não são eles que vêem as falhas dos outros? Não são eles quem nos vigiam e apontam os nossos defeitos? Embora eles tenham a mania de desafiar as leis, os Ragabash são valiosos para nos ajudar a descobrir quando a Litania está sendo quebrada...
Se bem que, por outro lado, às vezes eles testam nossa paciência além dos limites...

THEURGE
Os místicos Theurge ajudam-nos a compreender os espíritos. Como eu disse antes, precisamos ver quando os Garou estão abusando do mundo espiritual, e muitas vezes os Theurge vêem o que nós não conseguimos ver. O maior problema com os Theurge é que, às vezes, eles são um tanto incompreensíveis para nós. Seus mistérios às vezes os colocam em riscos que nem sempre conseguimos compreender.

GALLIARD
Quanto aos bardos... Ao ensinar as experiência do passado, a Nação aprende lições valiosas para se manter íntegra e fiel a Gaia. Os Galliard são excelentes para manter nossas tradições, ajudando a propagar as experiências de grandes heróis, as vergonhas de grandes criminosos e os ensinamentos da Litania. Nisso, eles nos ajudam a manter a Litania e a sabedoria da Mãe.

AHROUN
Já os guerreiros são um tanto instáveis. Sua Fúria por vezes os controla. Eles precisam de nós para manter seus instintos sob controle. Os Ahroun são indispensáveis à Nação, porém, pois estamos em guerra. Assim como nós ajudamos os guerreiros a controlar sua Fúria em tempos de paz, nós os ajudamos na luta contra a Wyrm.


A SEITA

Os Anciões pararam e conversaram entre si diversas vezes. Um deles, um velho Filodox, levantou-se e começou a falar.
— Você tem um futuro promissor, jovem. Talvez um dia cresça a ponto de se destacar na Seita e na Nação. Como Filodox, muitas oportunidades se abrirão para você... Muitos de nós se tornam Mestres do Desafio, ajudando que as questões e disputas na Seita sejam resolvidas. Outros são Guardiões ou mesmo o Vigia da Seita. Embora muitos associem esta função aos Ahroun, nós também somos bons defensores e guerreiros. Mas, mais importante, com certeza um dia você será um Ancião... e terá a chance de, talvez, ser um membro do Conselho de Anciões. O Grande Ancião com freqüência é Filodox. Quem sabe você não se torne um dia? Será mais freqüente, porém, que você assuma um dos ofícios menores, como ser o Apanhador de Verdades. Se esforce muito por seu futuro, jovem Filodox. Adquira sabedoria e experiência, e muitas oportunidades virão.

FIM DA ASSEMBLEIA

As chamas da fogueira já estavam se apagando. Com um Uivo, o Mestre do Uivo finalizou a Assembleia. Os lobisomens puseram-se a voltar para seus lares, sob a noite estrelada de meia Lua.
Quanto a Roberto, o jovem Filodox podia apenas imaginar o que seria seu Rito de Passagem. Ele tinha provado hoje que tinha muita sabedoria, mesmo para um Filhote. Seu mentor tinha ensinado-lhe muito bem. Ele sonha agora em se destacar, ser um bom juiz... ele sonha em liderar um dia sua matilha com justiça.
Um sonho justo para um Filodox... Esse é o Augúrio que melhor se destina à liderança, pois ser sábio e justo não são características apenas de um juiz, mas de um líder.
avatar
The Grand Wizard [Passo]
Admin
Admin

Mensagens : 1891
Data de inscrição : 24/12/2010
Idade : 27
Localização : Pra lá de Além Paraiba

Ver perfil do usuário http://lobisomemoapocalipse.livreforum.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo


 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum