Ragabash: A Lua Nova – Trapaceiro

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Ragabash: A Lua Nova – Trapaceiro

Mensagem  The Grand Wizard [Passo] em Dom 10 Abr 2011 - 17:11


Ragabash: A Lua Nova – Trapaceiro


Incômodo como deve ser, o Trapaceiro é o portador da sabedoria para aqueles que já se julgam sábios. Um Ragabash não apenas revela que o rei está nu, ele empurra o idiota pretensioso numa poça de lama como uma lição para os futuros reis. Eliminando gradativamente a tradição e a autoridade a cada turno, o Ragabash mantém seus companheiros nas pontas dos pés, ensinando-lhes a insensatez da presunção e a sabedoria da humildade. Ironicamente, o Trapaceiro traz desordem à ordem. Seus logros ressaltam as rachaduras nas calçadas nas quais seus companheiros de matilha pisariam.
Embora os outros Garou sempre esperem que os Ragabash cometam travessuras, isso não significa que gostem delas. Os Garou toleram os Trapaceiros, mas não confiam realmente neles. Os Ragabash tendem a ser indivíduos muito estranhos; seus companheiros de matilha nem mesmo procuram entendê-los. A aprovação de seu comportamento lhes permite uma liberdade da qual poucos Garou gozam.
Os Luas Novas são flexíveis, e essa flexibilidade é sua força.
Como os bobos das cortes da Europa medieval, os Ragabash são considerados incômodos necessários, sendo-lhes dada muita liberdade. Isto não quer dizer que os trapaceiros possam fazer o que bem quiserem; a Litania é uma lei sagrada,
mesmo para os filhos da Lua Nova. Ainda assim os anciões costumam olhar para o outro lado quando os trapaceiros
pregam suas peças, por acreditarem que a sabedoria inata da Lua Nova os guia. Não obstante, é melhor que os Ragabash vejam onde pisam. Os Ahroun não são conhecidos por seu senso de humor.

Fúria Inicial: 1

Dons Iniciais: Face na Multidão, Chamar a Matilha, Mentiras com Mentiras, Transmitir Idéias do Maroto, O Doce Sorriso do Caçador, Embasamento da Própria Forma, Silenciar, Abrir Objetos, Simular Cheiro de Água Corrente e Canção da Aranha.

Renome Inicial: 3 em qualquer combinação

Estereótipo: Embora o papel do palhaço seja aceito, ele proporciona pouco respeito. Os outros Garou sempre desconfiam dos Trapaceiros, mesmo quando eles estão tentando agir com seriedade. Os Trapaceiros nascidos sob a lua crescente são dotados de uma suave veia cômica, enquanto o humor dos Ragabash de lua minguante assume um tom mais sombrio.
Embora os Ragabash costumem serem desprezados como pregadores de peças, suas brincadeiras variam do cômico ao surreal, deixando os Garou menos sofisticados coçando as orelhas, pasmos. Os Ragabash são enigmáticos e reclusos como a lua que é seu augúrio, e gostam de ser assim.

ASPECTOS
Um Aspecto é uma das variações do Augúrio. Todo Augúrio possui dois aspectos: Lua Crescente e Lua Minguante. Aspectos não têm efeitos de jogo, são apenas guias para personalidade e as ações do Garou.

LUA CRESCENTE
Os Ragabash da lua crescente são aqueles que nasceram sob a lua nova nos dias que precedem o início da lua crescente. Como sinal da Fúria de Luna que começa a aumentar, eles tendem a ser mais diretos em suas trapaças, e costumam também ter um bom humor mais refinado.

LUA MINGUANTE
Os Ragabash da lua minguante nasceram logo nos primeiros dias de lua nova. Como sinal da Fúria de Luna reduzida, suas trapaças e truques tendem a ser mais complexos e elaborados, e muitas vezes chegam a ser perversos, com um pouco de humor negro.

Citação: Caminhe um pouco comigo à luz da... Como é que é? Não tem luz? Ora, claro que não! Somos os dançarinos da sombra. Luna está envolta em mistério. Claro que não há luz! A luz estragaria toda a diversão! Corra um pouco comigo, e conhecer á a lógica da minha loucura. Eu o levarei para além de você mesmo, para longe dos limites da sua visão.
Só não vá escorregar na caca de cachorro...


Última edição por Passolargo em Dom 21 Abr 2013 - 13:31, editado 2 vez(es)
avatar
The Grand Wizard [Passo]
Admin
Admin

Mensagens : 1891
Data de inscrição : 24/12/2010
Idade : 27
Localização : Pra lá de Além Paraiba

Ver perfil do usuário http://lobisomemoapocalipse.livreforum.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Ragabash: A Lua Nova – Trapaceiro

Mensagem  The Grand Wizard [Passo] em Dom 21 Abr 2013 - 13:17

UM RAGABASH FALA

Saudações, garoto. Hoje começam suas aulas naquilo que será mais importante para você na Nação Garou. Sabe como é, você compreende a qual Tribo você pertence, e isso é importante. Mas não é a única coisa que importa. É hora de você entender qual é sua função, o seu Augúrio! Você nasceu num dia de lua nova, no dia em que Luna desaparece do céu noturno. Você é um Ragabash. Mas o que é um Ragabash, você pergunta? Os Ragabash são os trapaceiros, aqueles que, como a lua nova, agem sem ser vistos. Eu sou um Ragabash. É por isso que me escolheram para ensina-lo. E você vai aprender muito bem nossa função!
Isso eu garanto! Agora sente-se aí, aproveite o calor da fogueira e preste bem atenção naquilo que vou falar. Preste atenção, ou você vai levar uns tapas toda vez que virar o rosto! Um Ragabash tem que ficar atento às coisas, então isso será um bom exercício!

A NOITE SEM LUA

Então, você pergunta... qual o significado de nascer num dia de lua nova? Sei, sei que você não perguntou nada, mas suponhamos que tenha perguntado! Bom, a resposta é que cada Garou tem que ser como a lua do dia em que nasce.
Nós, portanto, somos aqueles que fazem as coisas que os outros não vêem. Temos muitas funções, muitas mesmo! E a primeira delas é a de mostrar aquilo que não é obviamente visto. Veja bem... normalmente os outros Garou costumam ver as coisas de um ponto de vista só. Nós somos aqueles que precisam ver o outro lado, e apresenta-lo aos demais, para que possam julgar qual caminho é o melhor.
Para podermos ter a paciência de ver as coisas de forma diferente dos outros Garou e também para mostrar isso aos outros, Luna nos deu menos Fúria. Nós somos mais calmos que os demais. Assim, sempre pensamos antes de agir, ao invés dos desmiolados dos outros Augúrios. Lembre-se sempre disso! Porque é a partir disso que vêm todas as nossas funções na Nação! Temos que ver o que os outros não vêem, e mostrar isso para eles!

OS CAMINHOS DOS TRAPACEIROS

Bom... agora me escuta com atenção, porque começa a parte mais interessante. Nós somos os trapaceiros da Nação Garou... Não, filhote, não no sentido de ladrões ou Enganadores... bem, quer dizer... mais ou menos isso. Mas nós somos trapaceiros no sentido de enganar e humilhar para que as pessoas vejam algo que ainda não haviam notado.
Por que fazemos isso? Por que enganamos ao invés de apenas comentar os erros? Porque nós Garou somos cabeças-duras, garoto! Não ouvimos e somos muito, muito orgulhosos para admitir algo que não queremos ver! Por isso, nós precisamos tirar esse orgulho, mostrando que somos falhos, para depois podermos falar...ou, melhor ainda!!! Podemos aproveitar a humilhação
para já passar a informação através dela! Sabe como é... se o Ahroun não quer olhar para uma direção, cuspa nas costas
dele e para força-lo a se virar! Nós aprendemos isso com o coiote. É, aquele falso lobo que fica choramingando pra lua. Os filhos dele são uns bastardos, mas ele nos ensinou a ser mais eficientes.

CONTESTANDO AS DECISÕES

As razões mais comuns pelas quais temos que bancar os trapaceiros é para contestar uma decisão de nossos anciões e alfas. A maioria dos Garou fica calada quando os anciões os mandam em missões suicidas ou quando os alfas resolvem pôr em ação um plano idiota... mas nós não!
Agora você pergunta... por que só a gente reclama? Porque a Litania diz que os líderes não devem ser desafiados em tempos de guerra... e infelizmente, a maioria das decisões idiotas deles aparecem em tempos de guerra! Desrespeitar os líderes é desrespeitar a Litania, e isso significa punição! Porém, as leis são um pouco mais relaxadas para os Ragabash, afinal, esperam que nós apontemos as falhas nas coisas! Portanto, cabe a nós tentar argumentar com o líder... mas como eu disse, esses caras são esquentados e orgulhosos, e nunca querem ouvir. O que fazemos? Isso mesmo! Trapaceamos!
O único problema é que não é tão fácil trapacear o líder quanto é fazer isso com um companheiro, um amigo ou um colega! Veja bem, brincadeiras contra eles podem acabar sendo mal vistas... além disso, não podemos simplesmente concordar com eles e trair esse acordo! Sobra então falar na cara do sujeito o que achamos do plano. Diga que não fará o plano e mostre a todos uma alternativa melhor. Faça todos concordarem com você, mesmo que não admitam... e, se ele insistir, apenas faça algo que impossibilite o plano de funcionar... tipo... remova uma das peças chaves! Isso mesmo! Se o plano não pode começar, então ele não pode ser feito! Claro, depois você vai ter que ouvir uma tremenda bronca, mas pelo menos você poupou toda a matilha. Isso também é útil quando toda a matilha concorda com o alfa, menos você.
Mas, lembre-se de uma coisa! Não faça isso se não tiver um plano melhor e mais seguro!!! Senão, você pode só ferrar as coisas ainda mais, e a culpa cai toda em cima de você! Da mesma forma, se seu plano falhar, a culpa é toda sua por ter feito o plano original ir pras cucuias! Portanto, antes de contestar seu líder, sempre pense muito em todas as outras alternativas possíveis. Entendeu? Ei, você tá me ouvindo? Presta atenção, moleque! Doeu, né? Próxima vez que você virar o rosto, vai levar um mais dolorido.
O que eu falei foi só um modo de resolver as coisas. Você não precisa fazer isso sempre! Seja criativo, e nem sempre
você vai precisar usar alguma trapaça.

DEFENDENDO A LITANIA

Outro ponto interessante para os Ragabash é defender a Litania. Sim, os trapaceiros defendendo as leis! Deixe-me explicar melhor. Pense bem, todos esperam que nós vejamos as coisas pelas sombras. Então também esperam que vejamos quando alguém faz as coisas nas sombras. Embora não sejamos os juizes e não é nossa função julgar ninguém, quase sempre
temos que apontar quem está quebrando as leis.
Em alguns casos, podemos fazer isso simplesmente vigiando algum suspeito e contando o que vemos aos Anciões. Esse é o jeito mais fácil, e nem sempre funciona, principalmente quando um ancião ou membro respeitável da comunidade é o acusado. É preciso provas. Então, quando o jeito fácil não dá certo, temos que armar um flagrante. Nada melhor do que isso, pois evita que um Garou furioso o acuse de calúnias e queira um duelo de honra.
Agora, vem o problema... Às vezes, os Anciões te mandam vigiar um amigo seu, ou então você descobre um companheiro de matilha está traindo a Litania. E aí é confrontado com a difícil decisão de trair um conhecido. Por isso, muitas vezes os demais Garou não confiam em nós, e nos evitam. Todos têm segredos, e infelizmente nós somos aqueles que podem acabar descobrindo-os. Há sempre muita desconfiança sobre os Ragabash, e eu digo a você: isso é ruim para nós. Nós lobisomens somos seres que gostam de companhia, e ser evitado pelos amigos pode ser muito ruim às vezes...

ENSINANDO LIÇÕES

Bem, mas vamos falar de algo mais leve. Sabia que nós, Ragabash, também somos professores? Claro que não damos aula nem nada... mas ensinamos lições aos outros. Lições que podem ser bem dolorosas. Isso é parecido com contestar as decisões, mas ao invés de contradizer um líder, nós mostramos aos outros os seus erros. Você sabe: muitos Ahroun acham que são invencíveis, e muitos Galliard são arrogantes... diabos, tem até outros Ragabash que precisam de um pouco de humildade!
E, quando as pessoas precisam ver seus próprios defeitos, novamente, somos nós quem damos uma lição a eles. E, como apenas conversar não costuma dar resultados, nós fazemos as sacanagens de sempre...
Acho que não preciso mais ficar dando exemplos de como podemos ensinar as pessoas. Você já deve ter entendido que usamos as trapaças para vencer os outros onde eles são melhores ou para humilha-los e força-los a serem mais humildes. É assim que funciona sempre. Você só precisa ser criativo, pois existem milhões de maneiras de ser um trapaceiro!

CUIDADO! PUNIÇÃO!

Você tem uma pergunta a fazer? Faça, oras! Ora, é claro que os outros às vezes ficam nervosos com o que fazemos! Você não pode sacanear os outros o tempo todo e ainda assim ser adorado por todos!
Mas não é apenas isso... sabe como é, Garou são falíveis, e nós também somos! Às vezes realmente exageramos... ou fazemos a burrada de prejudicar os outros sem motivo! E aí, meu amigo, você pode esperar por punição.
Entenda, a lei Garou é bem menos rígida para nós que nascemos na lua nova do que é para outros Augúrios. Mesmo assim, somos punidos de tempos em tempos. Isso é inevitável. Por isso, não haja sem pensar nunca! Evite a todo custo fazer uma “brincadeira inocente” que pode fazer tudo sair errado. Embora sejamos trapaceiros, não somo assim o tempo todo, e por isso devemos saber quando agir seriamente também.
Evite ser punido, garoto. Evite mesmo. Não é só perder renome diante dos olhos alheios o problema não... às vezes, pode ser muito chato quando te forçam a se humilhar por um erro... uma vez, passei um mês com uma maldita esganiçada de chacal. Me forçaram a participar do rito da Voz do Chacal porque cometi um “pequeno” erro durante uma assembléia entre duas Seitas...

REMOVENDO TENSÃO

Mas sabe de uma coisa? Apesar de tudo, ser o brincalhão da matilha tem seu lado bom. Você sabe, é fácil aumentar a tensão entre seus companheiros nestes tempos finais... com o Apocalipse próximo, as lutas intermináveis e a velha e implacável Fúria, é comum haver discussões e desentendimentos.
Dentro de nossa matilha e, às vezes, de nossa seita, quase sempre somos nós aqueles que trabalhamos para aliviar a tensão. De todos os Augúrios, apenas os Galliard também costumam ser bons nisso. De certa forma, somos nós que mantemos a matilha unida. Afinal, ela não pode se manter se todos estão zangados. Às vezes, uma piada uma brincadeira, um jogo ou algumas risadas podem salvar sua matilha, rapaz!
Uma vez um corvo me disse: “ria ou você irá chorar.” Ele estava certo. Tome essa lição de coração. O que quer dizer com “corvos não falam”? Não me interrompa mais, garoto! Mostre respeito pelos mais velhos! Você ainda tem que viver muito pela frente, e não viu o suficiente, como o ocasional corvo falante!

O CAMPO DE BATALHA

Bom, continuando... onde estávamos? Ah, não importa. Vou falar de outra coisa... guerra. Combate. Ação. Esse tipo de coisa que faz sucesso nos filmes, mas que na verdade não tem graça nenhuma quando é seu rabo que está em jogo!
Você sabe, nós Garou somos uma raça que está sempre brigando... seja contra a Wyrm, a Weaver ou contra nós mesmos, nós estamos sempre trocando sopapos e arranhões. Quando a briga começa, os Ahroun são nossa elite, mas todos os Augúrios têm de aprender a brigar. Afinal, você não quer morrer jovem, né?
Certo... ninguém quer morrer jovem aqui. Mas então, prepare-se para o que vem. Muita gente pensa que os Ragabash são inúteis numa batalha, mas isso é mentira! Nós costumamos ser úteis antes, durante e após a batalha. Acho que nenhum Augúrio tem tantas funções num campo de batalha como nós. Antes mesmo da batalha começar, temos de estar preparados. Nós somos os batedores e a inteligência, usando nossos truques para passar despercebidos pelas fileiras inimigas e reunir informações. Afinal, é preciso saber contra quem se está lutando antes que a luta comece!
Então, quando a batalha começa, passamos a ser aqueles que atacam pelos flancos. Acredite em mim, você não quer ser a linha de frente! Usando de novo nossos truques, atacamos o inimigo por trás, ou quando ele menos espera. Às vezes também damos apoio usando ataques à distância, enquanto os outros atacam mais diretamente.
Além disso, se um dos seus companheiros cai durante a batalha... e acredite, isso ocorre muitas vezes... nós temos que atacar rapidamente, para impedir que o Garou morra, mesmo que pra isso acabemos arriscando nossa própria pele! Mas isso não é difícil! Lembre-se que somos os trapaceiros, e podemos muito bem impedir uma morte enganando o inimigo.
E, uma vez que a batalha termina, resta descobrir se há mais inimigos presentes, ou caçar aqueles que fugiram antes que consigam escapar de vez. Também às vezes você tem que ajudar aqueles que caíram, mas ainda vivem. Bom, não somos Theurge pra sair curando o pessoal, mas temos que cuidar de nossa matilha. E, como quase sempre saímos menos arrebentados que os outros, porque raramente somos alvos primários do inimigo, é nosso dever ajudar.
Batalhas parecem te excitar, garoto. Mas não ache que é brincadeira... somos trapaceiros, e não guerreiros. Deixe que o Ahroun faça o trabalho principal, e apenas ajude-o atrapalhando o inimigo!

SERVIÇOS SUJOS

Bom, agora eu quero sua atenção... tá, tá... já tive sua atenção o tempo todo até agora, mas agora quero que escute bem, porque vou falar baixo, e isso não se comenta perto de mais ninguém, está bem? Às vezes, os Garou precisam de serviços que não gostam de comentar... você sabe, tem muita política em jogo, e eles querem um espião ou assassino. E quem melhor para essas
funções do que aqueles que vêem tudo pelas sombras?
De vez em quando, sua Tribo, sua Seita ou mesmo sua matilha vai querer que você faça serviços sujos, rapaz... e normalmente o pagamento é alto. Coisas como espionar um rival, sabotar uma outra Seita ou mesmo matar uma pessoa indesejável.
Algumas vezes esse serviço pode ser feito abertamente. Nesses casos, o serviço sujo é para ferir as forças da Wyrm.
Sabe como é... Assassinar um empresário aqui, espionar um político ali, sabotar uma fábrica acolá... Mas o pior é que esses serviços também podem ser contra outros Garou... Sim, porque há muitas rivalidades entre Anciões, entre Seitas ou mesmo entre matilhas, e às vezes começa a surgir intriga. Nesses casos, o serviço é ainda mais lucrativo, quase sempre te rendendo Dons, favores, segredos, muito dinheiro ou coisas assim. Porém, isso não rende renome algum, e ainda há o risco da descoberta.
Tome cuidado, porque se você for descoberto, estará encrencado... MUITO encrencado. Se eu já fiz um desses serviços sujos? Eeeeeeu? Claro que não!!!! Ora, como ousa desconfiar de seu mentor?

FUNÇÕES NA SEITA

Você já deve ter visto como funciona uma seita... Não? Porra, garoto, quando você entrou aqui não te apresentaram as “autoridades”? Pois é, é dessas funções que estou falando... Tá, você não conhece todas, mas isso não importa!
O que importa é que, infelizmente, nós Ragabash não costumamos ter muitas funções disponíveis para nós na Seita. O que é uma injustiça, porque quase sempre os Ahroun, Galliard ou Philodox pegam todas para si... Bom, há Ragabash no Conselho de Anciões, claro. Mas isso é de se esperar, afinal, qualquer Ancião pode, teoricamente, fazer parte do conselho.
O Grande Ancião raramente é Ragabash. Eles dão preferência aos Philodox pra este posto, mas nada impede um Ragabash de ser o Grande Ancião. Este posto é o do sujeito que fala em nome do Conselho de Anciões. Seu porta-voz, por assim dizer.
Em algumas raras ocasiões, um Ragabash pode ser o Vigia de uma Seita, ou seja, o sujeito que lidera os guardiões do Caern. Quase sempre é um Ahroun que ocupa este posto, mas teoricamente qualquer um pode ser nomeado Vigia. E acredite, um Ragabash pode ser um bom vigia, pois costuma estar mais preparado para os truques do inimigo.
Também podemos ser Guardiões em um Caern. De novo, costumam ser Ahroun, mas como não tem tantos Ahroun assim para proteger sozinhos um Caern, aceita-se gente de todos os Augúrios, desde que sejam bem treinado em combate.
Em algumas ocasiões, um Ragabash pode ser nomeado Vigia da Terra também. Este cargo cuida para manter o Caern limpo e bonito. Não, seu moleque, não é cargo de gari! Um Caern tem que ser mantido agradável, tanto para mantê-lo respeitável aos olhos de visitantes como para agradar aos espíritos que vivem no Caern.
E, por mais estranho que pareça, já conheci um Ragabash que era Mestre do Desafio, uma espécie de juiz que observa todos os desafios feitos entre Garou numa Seita, tanto duelos físicos como outras formas de disputas. Embora isso pareça trabalho para um Philodox, um Ragabash também pode ser um bom Mestre do Desafio, afinal, não é um cargo de julgar crimes, mas sim de decidir quem foi o vencedor em competições.
Há outros cargos e ofícios menores, mas estes são os principais. A maioria dos cargos que não citei acabam nas mãos de outros Augúrios. É claro, um Ragabash pode assumir outros cargos, mas isso não é muito comum...

NÓS E OS OUTROS

O que nós achamos dos outros Augúrios? Bom, pra dizer a verdade, não achamos nada. Encare isso: ao contrário de Tribos, em que umas odeiam as outras, os Augúrios existem para coexistir. Então nada de “aqueles malditos Ahroun” ou “como odeio todos os Theurge” por aqui!
Lembre-se, garoto. Nós temos que trabalhar em conjunto com cada um dos Augúrios. Se pudéssemos fazer tudo sozinhos, não haveria necessidade de Luna nos diferenciar!
Quando você vê um Garou e não gosta dele, é por causa da personalidade dele, ou talvez por causa da Tribo... mas nunca por causa de seu Augúrio. Mas aqui vai umas dicas sobre cada um dos outros
quatro Augúrios da lua.

THEURGE
Os Theurge são os nossos ocultistas, por assim dizer. Eles cuidam dos rituais e de nossa ligação com a Umbra. E, para falar a verdade, são muito úteis para nós. Eles ajudam um bocado a descobrir aquilo que está oculto. Infelizmente, alguns não gostam de repartir o que descobrem, mas Dons de camuflagem existem exatamente para descobrir o que os outros não querem, não é mesmo?

PHILODOX
Agora, os Philodox são outra história... Quando for tomar uma decisão importante, às vezes é bom se aconselhar com o Philodox da matilha... assim, ele saberá de suas boas intenções e irá ajuda-lo caso as ache justas. Além disso... ser amigo de um Philodox ajuda quando você acaba de humilhar um Ahroun...

GALLIARD
Já os bardos... eles contam histórias legais... São meio arrogantes, às vezes... mas suas histórias trazem belas lições de moral. Preste sempre atenção nas histórias... às vezes elas falam de Ragabash famosos... e às vezes contam lições que devem ser lembradas aos seus colegas de matilha de tempos em tempos.

AHROUN
Os Ahroun acham que carregam a Nação Garou nas costas, só porque são guerreiros. A verdade é que eles não são os únicos que lutam, são apenas aqueles que se dedicam mais a isso. Lembre-se sempre de mostrar aos Ahroun que até mesmo os Ragabash têm valor numa batalha. E trate de lembra-los também que mesmo um guerreiro deve ser útil em tempos de paz!


CONCLUSÃO

Bem, garoto... por hoje é só. Eu acho. Amanhã, vou ensina-lo um pouco sobre como brigar... brigar sujo, claro! Vá descansar, mas fique atento. Um Ragabash deve ser atento. E para ter certeza que você vai ser um bom Ragabash, eu aprontei umas surpresinhas para você. Boa noite! tenha bons sonhos... se conseguir dormir, claro!
avatar
The Grand Wizard [Passo]
Admin
Admin

Mensagens : 1891
Data de inscrição : 24/12/2010
Idade : 27
Localização : Pra lá de Além Paraiba

Ver perfil do usuário http://lobisomemoapocalipse.livreforum.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo


 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum