Theurge: Lua Nascente – Vidente

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Theurge: Lua Nascente – Vidente

Mensagem  The Grand Wizard [Passo] em Dom 10 Abr 2011 - 17:11


Theurge: Lua Nascente – Vidente


A Lua Nascente brilha como uma lâmina. À sua luz, o Theurge, o vidente dos Garou, faz sua paz com o mundo espiritual.
Não há outro Garou que conheça uma sintonia maior com a Umbra. Nenhum outro augúrio compartilha sua compreensão pelas trilhas e perigos dos Reinos Espirituais.
Os Theurges são guias tribais. À luz pálida de Luna, os Theurges espiam a escuridão dos mistérios interiores e exteriores.
A irmã de Gaia os conduz através de jornadas místicas que poucos outros Garou poderiam seguir. Como os xamãs humanos das culturas indígenas, os lobisomens Theurge são reservados e misteriosos, tocados e segregados pelo conhecimento que adquiriram.
Os Theurges costumam conviver mais freqüentemente apenas entre seus iguais, murmurando para os espíritos, com pouco tempo para atividades mundanas. Esses videntes são os planejadores, pensadores, sacerdotes e visionários. Seus Dons refletem uma compreensão profunda do mundo espiritual e do eu interior. Eles podem canalizar, curar ou ferir com a mesma graça. Sem eles, a tribo pode perambular sem destino até que a Wyrm os engula a todos. Seus colegas de matilha sabem disso, mas se mantêm afastados. Quem sabe quando os conhecimentos sobrenaturais dos sábios poderão ser voltados contra eles?

Fúria Inicial: 2

Dons Iniciais: Ligação Espiritual, Parede Espiritual,Sentir Fluxo da Vida, Toque da Mãe, Sentir a Wyrm, Comunicação com Espíritos, Percepção do Airt, Cordão Umbral, Sentir Chiminage e Escudo Umbral.

Renome Inicial: Sabedoria : 3

Estereótipo: Os espíritos deixaram sua marca nos Theurge.
Eles são tocados e mais do que um pouco esquisitos. Seu conhecimento é igualmente uma benção e uma maldição. Embora os companheiros de matilha valorizem os poderes dos Theurges, eles os deixam nervosos. Aquela cantoria assustadora que eles recitam enquanto dormem é suficiente para enroscar os tentáculos de um Maldito!
Os Theurges nascidos sob a lua crescente são capazes de entrar naturalmente em sintonia com os espíritos, enquanto os nascidos sob a lua minguante são capazes de escravizar espíritos, ao estilo dos feiticeiros.

ASPECTOS
Um Aspecto é uma das variações do Augúrio. Todo Augúrio possui dois aspectos: Lua Crescente e Lua
Minguante. Aspectos não têm efeitos de jogo, são apenas guias para personalidade e as ações do Garou. Independente de
Aspectos, porém, Theurges costumam falar de forma enigmática, devido a seu freqüente contato com espíritos.

LUA CRESCENTE
Theurges que nasceram quando a lua nascente estava crescente têm uma atitude mais agressiva com os espíritos. “Agressivo” no caso não significa violento, apenas que o Garou tende a ser mais direto com suas relações, e muitas vezes tende a tentar intimidar ou mesmo manipular os espíritos. Esses Theurges são os mais interessados em combate, e os mais indicados a confrontarem ou aprisionarem espíritos malignos.

LUA MINGUANTE
Os Theurges da lua minguante muitas vezes referem a sua lua como “poente”, já que ela não está nascendo e sim desaparecendo do céu. Eles têm uma atitude mais amigável para com os espíritos,

Citação: Aquele sussurro nas árvores não é o vento! É o grito dos fantasmas destas terras. Devo traduzir o que eles dizem? Deixaria vocês com os pêlos arrepiados! Consegue ver a dança nos meus olhos? Mais perto! Mais perto! Pode ver os rostos sorrindo e grasnando para mim? Não consegue? Eu consigo! A cada instante, todo dia! O beijo de Luna torna-os como moscas ao meu olhar sempre presente. Eu os vejo enquanto durmo. Está rindo de mim? Não ria de mim! Posso voltá-los contra você...
avatar
The Grand Wizard [Passo]
Admin
Admin

Mensagens : 1891
Data de inscrição : 24/12/2010
Idade : 27
Localização : Pra lá de Além Paraiba

Ver perfil do usuário http://lobisomemoapocalipse.livreforum.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Theurge: Lua Nascente – Vidente

Mensagem  The Grand Wizard [Passo] em Dom 21 Abr 2013 - 14:39

UM THEURGE FALA

Saudações, jovem filhote. Eu sou Caminhante da Sombra do Mundo, Theurge Fostern. Fui escolhido para ensinar-lhe
as tradições místicas dos Garou. Como eu, você é um Theurge, nascido quando os primeiros raios de luar rasgavam as trevas da noite.
Nós somos os Luas Nascentes. Nosso sentido é o mesmo da lua: iluminar a sombra do mundo. Somos os instrutores, os pajés, xamãs e místicos. A sombra que iluminamos, porém, não é uma sombra literal. Falo da Sombra, o mundo dos espíritos: Umbra.
Venha comigo, filhote. Vamos discutir sobre os espíritos.

A SOCIEDADE E OS MÍSTICOS

Os Garou são criaturas de ambos os mundos. De um lado, temos o mundo físico, material. De outro, está o reino dos espíritos e das idéias. Entre ambos, temos a Película que os separa. Os Theurge são aqueles que unem esses dois mundos para os lobisomens. Claro, todos os Garou podem passar de um mundo para outro... porém, nós somos aqueles que compreendem verdadeiramente o mundo espiritual. Sem nós, os Garou perderiam uma de suas metades.
Nós somos, portanto, o elo de toda a sociedade com o nosso passado espiritual. Os Galliards são elos com o passado, mas nós somos elos com nossa parte interior, nossa essência. Para se tornar um bom Theurge, você precisa estudar e praticar. Estudar nossos rituais e nossos pactos com os espíritos, estudar a própria Umbra. Praticar inclui praticar o os rituais e Dons que aprendemos, e também nos aventurarmos nos caminhos da Umbra para descobrirmos seus segredos.
Vejo em você um olhar inquisitivo, uma curiosidade inata. Vejo que está levando a sério. Isso bom, pois mostra que seu coração tem interesse no misticismo. São qualidades de um bom Theurge. Saber procurar o que os segredos e poderes que deseja, pesquisar e aprender a usar isso em seu benefício e em benefício de todos os Garou. Você está pronto para conhecer mais sobre nossas funções? Ótimo!

O QUE ESPERAM DE NÓS

Os outros esperam muito de nós... mas eles têm razão. Pense bem... todos os outros dividem entre si as responsabilidades no mundo físico. Nós, porém, somos os únicos responsáveis pelo mundo espiritual. Embora os outros Augúrios ainda mantenham suas funções na Umbra, eles ainda assim dependem de nós.
Nós somos os ritualistas, os sacerdotes. Nós somos os místicos e ocultistas. Nós somos aqueles que guiam os demais pela Sombra de Gaia. Somos os únicos que podemos conversar livremente com os espíritos. Somos aqueles que mantém os pactos antigos que os espíritos mantém com nossas tribos.
Se isso não é responsabilidade... se isso não é importância... então eu não sei o que é.

ORAÇÕES E RITUAIS

Pode-se dizer que nossa primeira função é ser líderes espirituais. Aí você pode pensar... “guiamos os outros pela Umbra.” Não, isso é mais para a frente... O que fazem os líderes espirituais na sociedade humana? Sim, eles pregam, fazem missas, realizam rituais religiosos. Então, o que você conclui?
É isso mesmo. Somos os sacerdotes de Gaia. Nós trazemos os sermões e as lições espirituais. Certo, são os Filodox que falam sobre as leis de Gaia e a Litânia e julgam, e são os Galliard que contam as histórias de nossos antepassados, mas nós, Theurges, temos que ficar lembrando de aspectos como as nossas origens, os pactos e ensinamentos dos espíritos, o sentido dos Garou existirem. E isso também significa que a maioria dos rituais são feitos por nós. Quem você acha que reúne os Garou ao redor da fogueira para que os Galliard contem suas histórias?
Quem você acha que celebra os rituais da passagem das estações, as saudações a Luna ou Hélios? Sim, somos nós. Esses rituais têm um duplo sentido. Em primeiro lugar, reforçam nossos elos com os espíritos. Em segundo, e não menos importante, mantém as matilhas e seitas unidas. Esses rituais e cerimônias unem os Garou sob um propósito único e pacífico, fazem com que nos relacionemos com nossos semelhantes, e quase sempre terminam como se fossem reuniões bem-humoradas e descontraídas, em que todos se vêem fortalecidos espiritualmente.
Eu aconselho você a treinar seu carisma. Você vai precisar, porque você um dia vai ser aquele que terá que reunir sua matilha cansada e abatida para saudar Gaia. É preciso que as pessoas gostem de você nessa função.

CONHECIMENTO

Bem, agora você vai aprender nossa segunda função... conhecer. Sempre esperam que nós saibamos das coisas... então é bom que REALMENTE saibamos das coisas. Esperase que saibamos os rituais, saibamos que caminho seguir, saibamos como vencer um inimigo...
Então prepare-se para ser curioso. E muito! Pesquise com os espíritos e com os anciões aquilo que deseja saber. Procure aprender os rituais e costumes. Tente encontrar novos mistérios o tempo todo. Um dia você precisará desse conhecimento, e agradecerá a Deus e a Gaia que os tem... ou pode se amaldiçoar por não tê-los pesquisado quando teve a chance.
Porém, tome cuidado... certos conhecimentos podem ser daninhos. Por mais que sua curiosidade o atraia, evite mergulhar demais nos mistérios da Wyrm... Quanto mais se sabe sobre ela, mais ela parece nos atrair... e aí se esconde nossa própria corrupção. Conheci um Theurge há muito tempo, que quis saber demais sobre os malditos Cadáveres.
Ele descobriu muito sobre eles, sim, mas chegou a um ponto que simpatizou com eles! Passou a trata-los como vítimas ao invés de inimigos, até se voltou contra a Seita por um deles.
Ele foi declarado Ronin... e mais, pouco depois, foi morto pelos Sanguessugas, que roubaram seu conhecimento para tentarem nos atacar. Tome cuidado com essas armadilhas. Um dia você se verá numa situação parecida, então pare antes que seja tarde demais, e abandone sua curiosidade por esses conhecimentos pervertidos.

NOSSA FUNÇÃO EM BATALHA

Antes de eu falar de assuntos mais complicados... ou seja, a Umbra... deixe-me falar uma coisa. Nós, Garou, temos o mau costume de estarmos brigando o tempo todo. Todos os dias batalhamos contra a Grande Serpente que é a Wyrm.
Isso é ruim porque muitas vidas são perdidas... mas infelizmente é necessário. É a única forma de algum dia podermos vencer esta guerra por salvação. Se apenas parássemos de lutar, a Wyrm já teria eliminado a todos nós... ou pior ainda, já teria nos corrompido totalmente.
E sabendo disso, você precisa também saber qual é nossa função na batalha. Sim, nós também somos guerreiros. Está certo que não somos “Os” guerreiros, mas ainda assim precisamos lutar ao lado de nossos irmãos. Muitos de nós treinam o físico, para melhor sobreviverem. Isso é bom. Mas nossa grande vantagem não está no físico, está na magia. Sendo os místicos, nós temos
grandes poderes, na forma de nossos Dons e Rituais particulares... Claro, não temos coisas como Garras de Prata, mas podemos usar nossa magia para fortalecer nossos companheiros ou prejudicar o inimigo.
Antes de mais nada, temos grandes ritos. Ritos que podemos utilizar antes de uma batalha para fortalecer a moral dos combatentes e que podem dar-lhes vantagens vindas do mundo espiritual. Isso por si só já favorece e muito o nosso lado numa batalha.
Mas há mais além disso... nossos Dons! Podemos falar com espíritos e pedir sua ajuda. Podemos comandar espíritos, até mesmo os inimigos. Podemos curar nossos companheiros para que voltem a lutar após tombarem em combate. E isso são apenas alguns exemplos. Então, quando estiver no calor da batalha, lembre-se que somos as forças de apoio, não a infantaria. Temos que lutar, é claro, mas não na linha de frente. Enquanto os guerreiros uivam ferozes, nós estamos logo atrás deles, prontos para usar nossas mágicas em combate.

A SOMBRA

Agora sim, vamos falar sobre a Sombra de Gaia, o mundo espiritual. Ou Umbra, se preferir. O mundo além, em que apenas nós Garou podemos pisar. Mas não pense que a Umbra é parque de diversões, não!
Assim como cheio de mistérios, ela é um mundo cheio de perigos, onde tudo, desde as pedras e a água possui vida própria e pode estar a serviço de Gaia ou da Corruptora. Mesmo podendo alcançar esse mundo, nós ainda somos estranhos a ele, e temos que adentrar com cuidado.
Você ainda é novo e inexperiente, e há centenas... não, milhares de coisas que ainda precisa aprender, mas contarei a você as regras básicas ao lidar com o mundo dos espíritos. Na Umbra, vá apenas aonde Gaia está. Existem áreas na Umbra de pura paz e harmonia, onde podemos sentir o amor de Gaia. Lá estamos relativamente seguros, pois os espíritos tendem a ser mais amigáveis... Apenas em caso de necessidade ou quando for mais experiente tente se aventurar pelas cidades ou pelas áreas em que a Wyrm está presente.

OS ESPÍRITOS

Se a Umbra fosse apenas um mundo, talvez fosse mais fácil viajar por ela... mas este mundo tem seus próprios habitantes, os espíritos. Eles estão em toda parte, são as árvores, animais, elementos, sentimentos, ideais... representam pureza e corrupção, refletem os conceitos e a essência do mundo material.
Existem muitos tipos de espíritos, mas você irá encontrar com mais freqüência os mais fracos, os Gafflings e Jagglings. Jagglings são inteligentes, possuem mente própria e poderes limitados a sua natureza. São esses espíritos que nos ensinam
Dons. Já os Gafflings são apenas zangões instintivos que servem a um Jaggling, e possuem poderes ligados apenas à sua tarefa. São os Gafflings que prendemos em fetiches para termos acesso a seus poderes.
Existem espíritos maiores, porém... Incarnae, Celestinos... Gaia em pessoa... mas esses são deuses, imensos demais para nós os compreendermos totalmente, ou mesmo para que possamos nos comunicar com eles. Certos Incarnae mantém contato com nossas tribos e matilhas, mas Celestinos aparecem apenas através de seus avatares e servos.

LAÇOS DE RESPEITO

Agora, o mais importante... Certos Garou vêem os espíritos apenas como servos e fontes de poder, pensam que a única razão dos espíritos existirem é para nos ensinar Dons ou serem aprisionados em nossos fetiches... mas eu digo a você: quem pensa assim é um tolo. Os espíritos não nos servem: eles são nossos aliados, às vezes iguais a nós, mas muitas vezes até mesmo superiores.
Há muitas e muitas gerações, nós temos feito pactos com espíritos. Esses pactos são o que mantém os grandes Incarnae cuidando de nossas tribos ou enviando Jagglings que olhem por nossas matilhas. Esses pactos é que fazem os espíritos responderem a nossos chamados ou darem poder a nossos ritos. Sem esses pactos, não teríamos nem um décimo
de nosso poder.
E, para mantermos esses pactos, é preciso respeito mútuo. Os espíritos nos respeitam, sem dúvida. Eles nunca viraram suas costas para nós, a menos quando nós os traímos. Nós, por outro lado, vivemos esquecendo que precisamos respeita-los. E essa é mais uma de nossas funções... Temos que manter os Garou respeitando os espíritos.
Vigie os outros. Veja quando estão abusando dos espíritos, quando os prendem em fetiches sem necessidade, quando os torturam por Dons. Veja quando eles os homenageiam, e repreenda-os quando abusam das relações com os espíritos. É mais um de nossos papéis. E saiba que, se um dia seu Totem não responder um chamado, se um Dom seu falhar ou se um Rito não obtiver o resultado esperado, é porque os espíritos estão zangados, seja com você, sua matilha, sua tribo ou sua seita. Sempre
que isso acontecer, procure refazer os antigos pactos e reatar os laços de respeito, e convença os outros Garou a fazerem o mesmo.
Porque, se falharmos nessa tarefa, os espíritos nos abandonarão, e sem eles estaremos perdidos.

NOSSAS FUNÇÕES NA SEITA

Bem, voltando ao mundo físico... Você já sabe sobre Seitas, não? Pois é... nós, Theurges, costumamos estar em muitas das funções de uma Seita. Claro, não é obrigatório um Theurge assumir tais funções, mas também não é incomum.
Nem preciso dizer que sempre há um Theurge no Conselho de Anciões, não é mesmo? Todos os Augúrios são representados no Conselho, a menos que a Seita em questão não tenha ninguém experiente de um Augúrio específico para
assumir tal posição, mas isso é muito raro. Quanto ao Grande Ancião, normalmente o posto é dos Filodox, mas não é incomum que o um Theurge o assuma, principalmente quando o Caern é conhecido por suas alianças espirituais.
Não costumamos ser Vigias em um Caern. Um Ahroun ou Filodox assume melhor tal posição. Porém, muitas vezes estamos entre os Guardiões, aqueles que defendem o Caern. Nesse caso, temos o dever de defender o Caern de invasões pela Umbra ou de espiões espirituais, um trabalho que somente nosso Augúrio pode fazer tão bem.
Já a posição de Mestre de Rituais é nossa por direito de nascença. Que Augúrio poderia assumir melhor esta posição do que o nosso? Às vezes também aceitamos o trabalho de sermos Vigias da Terra, aqueles que cuidam da aparência de um Caern.
Somos bons nesse trabalho, pois um Caern deve ser mantido não só para seus habitantes físicos, mas espirituais também, e por isso recorrem a nós para assumirmos a posição quando os espíritos se sentem desconfortáveis em um Caern.
O último dos ofícios principais de uma Seita é o do Mestre do Desafio, mas embora não seja impossível assumirmos tal posição, quase sempre ela é dos Filodox. Alguns Caerns possuem Theurges como mestres do desafio, mas isso não é muito comum.
A seguir, temos os ofícios menores.. O Evocador da Wyld é aquele que mais freqüentemente assumimos entre esses ofícios, afinal somos os mais indicados para mantermos boas relações com o Totem do Caern.

OS OUTROS

Quanto aos outros Augúrios... bem, você conhecerá melhor suas funções com a experiência... mas não custa nada eu adiantar um pouco, não é mesmo?

RAGABASH
Primeiro vêm os nossos trapaceiros... Cuidado com eles! Eles são sujos e querem testar sua paciência a cada minuto! Às vezes é difícil agir tendo um Ragabash tentando esgotar sua paciência. Ainda assim, eles são necessários para apontar as falhas dos outros. Mas aceitar isso não significa que precisamos aceitar suas brincadeiras infantis.

PHILODOX
Quanto aos juizes, não há nada a se dizer... Eles podem farejar mentiras, o que os fazem bem eficientes em seus serviços. Ouça-os, mas lembre-se que quem conhece a Umbra é você, e não eles. Muitas vezes, eles tentam julgar nossas ações, sem saberem que agimos em benefício dos espíritos. Mostre a eles quando estão errados.

GALLIARD
Os bardos são úteis. Em primeiro lugar, tanto quanto nós, eles ajudam a manter os Garou unidos com suas canções e histórias. Além disso, muitas vezes mistérios da Umbra podem ser desvendados quando um Galliard acaba se lembrando de alguma história relacionada que ocorreu gerações atrás...

AHROUN
Os guerreiros são brutos e pouco refinados, e nem sempre conseguem pensar antes de agir, o que é realmente uma pena. Eles nos olham muitas vezes como se fôssemos inúteis em combate, mas isso não é verdade. O que seria deles sem nós para cura-los? Além disso, de todos os Augúrios, eles são os que menos compreendem a natureza sublime dos espíritos, imaginando-os como armas a mais na batalha. Tais pensamentos são perigosos, pois podem levar a desentendimentos entre os Garou e os espíritos.


CONCLUSÃO

Bem, por hoje é só... Agora você conhece o básico sobre o que é ser Theurge, sobre como é ser como a lua nascente que rasga o véu de escuridão. Nós somos luz, a luz que surge tímida e ilumina ao menos um pouco a grande sombra conhecida como Umbra.

avatar
The Grand Wizard [Passo]
Admin
Admin

Mensagens : 1891
Data de inscrição : 24/12/2010
Idade : 27
Localização : Pra lá de Além Paraiba

Ver perfil do usuário http://lobisomemoapocalipse.livreforum.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo


 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum