Marco Antônio - Filho de Gaia

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Marco Antônio - Filho de Gaia

Mensagem  Zeta em Qua 21 Dez 2016 - 18:08

OFF: Apenas para avisar, fiz um personagem que ainda não passou pelo rito de iniciação, pois gostaria de interpretar o rito em alguma quest, por isso ele ainda não possui dons ou ritos.



Nome do Personagem: Marco Antônio
Nome Garou: (Ainda não recebeu seu nome)
Nome do Jogador: Zeta

Raça: Hominídeo
Augúrio Ahroun
Tribo: Filhos de Gaia (Futuro Dançarino da Espiral Negra?)

Natureza: Beta
Comportamento: Celebrante
Conceito: Jovem

Características
Idade: 16 anos
Nacionalidade: Brasileiro
Etnia: Caucasiano
Cabelos: Castanhos, curto
Olhos: Castanhos
Sexo: Masculino

Descrição: Sua aparência foi levemente mudada após o cativeiro entre os Dançarinos da Espiral Negra, outrora um adolescente bonito, hoje, em sua forma hominídea possui um rosto magro, uma pele levemente macilenta, olheiras escuras, e seu cabelo cresce desarrumado. Como galabro não é muito diferente, porém maior, com uma musculatura mais avantajada e com uma pelagem castanha escura cobrindo a maior parte de seu corpo, além é claro de garras, dentes e orelhas pontiagudas. Como Crinos, um enorme monstro de pelagem desarrumada e com ocasionais falhas, algo que se repete nas formas de Hispo e Lupus. As torturas nas mãos dos Dançarinos deixaram suas marcas: a perda de seu olho esquerdo (agora apenas uma órbita vazia com uma cicatriz) além de outras cicatrizes em seu tronco. Seus olho restante sempre carece de brilho, em todas as suas formas.

Este é apenas um exemplo : Isso fica a critério do player, mas vale lembrar que os Garou são pesados, nenhum deles é a Olivia Palito.
.......................Altura:........................................... Peso:
Hominídeo:.......1,70m........................................... 66 kg
Glabro:.............1,83m.......................................... . 95 kg
Crinos:.............2,50 m........................................... 320kg
Hispo:.............. 1,55 m............................................... 320 kg
Lupus:.............0,70m............................................. 32kg





Atributos (7-5-3 qualquer ordem)

Atributos - Físicos (7)

- Força: 3
- Destreza: 4 ( Reflexos Felinos)
- Vigor: 3

Atributos - Sociais (3) +2 Tribo

- Carisma: 3
- Manipulação: 4 (Astúcia)
- Aparência: 1

Atributos - Mentais (5)

- Percepção: 3
- Inteligência: 2
- Raciocínio: 3

Habilidades (13-9-5 qualquer ordem, favor definir qual usou em cada um para facilitar nas contas.)

Habilidades - Talentos

Prontidão: 3
Esporte: 2
Briga: 2
Esquiva: 2
Empatia: 1
Expressão:
Intimidação: 1
Instinto Primitivo: 2 (1 + 2 PB)
Manha:
Lábia: 2 (1+2PB)

Habilidades – Perícias

Emp. c/Animais: 1
Ofícios: 1
Condução:
Etiqueta:
Armas Fogo:
Armas Brancas: 1
Liderança: 1
Performance: 1
Furtividade: 2
Sobrevivência: 2

Habilidades - Conhecimentos

Computador: 1
Enigmas: 1
Investigação: 1
Direito:
Lingüística: 1 (Português, Inglês)
Medicina:
Ocultismo: 1
Política:
Rituais:
Ciências:


Antecedentes (5 pontos)

- Tocado pela Wyrm: 2 (ações violentas ocasionais, verbais e/ou físicas, muitas vezes sem um motivo prévio)
- Herança Espiritual: 1 (Malditos)
- Destino: 2 (ver prelúdio)



Dons: 3   (OFF: Como o personagem ainda não passou pelo rito de iniciação, não possui dons)

- Tribo =
- Raça =
- Augúrio =


Ritos:

Nível 1:

Nível 2:

Nível 3:

Nível 4:

Nível 5:


Manobra Especial:

Incapacitar:
Com este ataque violento, o lobisomem enterra as presas na parte inferiorr da perna de seu alvo e arranca os tendões. Se tiver sucesso, o ataque tolherá severamente os adversários quadrúpedes e aleijara os bipedes (diminua pela metade as taxas de movimentação dos adversários quadrúpedes). Também é possivel executar este ataque com as garras, embora isso pareça menos natural. Dano provocado por este ataque é agravado, em geral, um lobisomem solitário usa esta manobra para retardar o oponente até que sua matilha possa se juntar à batalha.
Empregável por: Crinos, Hispo e Lupinos
Teste: Destreza + Briga Dificuldade: 8
Danos: Força + Aleijamento
Ações: 1


FÚRIA: 5
GNOSE: (1 + 8PB) 5
FORÇA DE VONTADE: (4 + 9PB) 6
POSTO: (Ainda não passou pelo ritual de iniciação)


RENOME
- Glória Permanente: -
- Honra Permanente: -
- Sabedoria Permanente: -


Vantagem de tribo:

Vantagem tribal: Diplomacia
Os Filhos de Gaia são excepcionalmente hábeis em reunir os dois lados de um conflito e fazendo-lhes ver as formas em que eles fundamentalmente concordam. Cada Filho de Gaia começa com duas características adicionais em Atributos Sociais, além disso os seus Atributos Sociais não podem ser perdidos.



Fraqueza Tribal:

Véu Rasgado: Testemunhas recebem +4 na Tabela de Delírio.
Uma vez que os Filhos de Gaia não participaram do Impergium, o totem tribal deles garantiu a eles uma demonstração extra de serenidade. Humanos que vêem um Filho de Gaia na forma Crinos não sofrem o Delírio de maneira tão forte e a reação deles na tabela de Delírio aumenta em quatro posições (sendo “Terror” a pior reação que um humano pode ter). Alguns Filhos de Gaia não vêem isso como uma fraqueza, mas a realidade é que sem essa proteção do Véu, os Filhos correm o risco de violar uma das mais sagradas leis da Litania. Não há nenhum meio confiável de desfazer essa fraqueza; se um Filho de Gaia começar a causar fortes reações de Delírio novamente, é possível que seja em intervalos aleatórios (e desagradáveis).



Qualidades / Defeitos

- Caolho (Defeito: 2 pontos)
Você carece de percepção em profundidade e tem uma visão limitada devido ao fato de você possuir apenas um olho. Seu lado cego não possui visão periférica. Quando a visão em profundidade está envolvida (com em combate a distância), você sofre penalidade de 2 dados em seus testes.

- Compulsão (Defeito: 1 ponto) (arrancar os próprios pelos)
Você se sente compelido a fazer certas coisas em certos momentos sob certas circunstâncias. Essa peculiaridade psicológica assume uma forma altamente ritualizada (lavar as mãos ou arrumar-se freqüentemente) ou em situações específicas (jogar, confessar, falar, furtar compulsivamente). Esse Defeito não apenas causa problemas a você, mas também aos seus companheiros de matilha. Você pode gastar um ponto de Força de Vontade para evitar a compulsão temporariamente. Certifique-se com seu Narrador quanto tempo você pode resistir antes de precisar gastar outro ponto de Força de Vontade ou sucumbir a sua compulsão.

Pesadelos (Defeito: 1 ponto)
Terríveis pesadelos incomodam seu sono todas as noites, às vezes permeiam seus pensamentos durante o dia. Às vezes, (determinadas pelo Narrador) distraem você de uma forma tal que você perde um dado em todas as suas ações durante o dia. Algumas vezes você tem dificuldade para distinguir entre o que é real e o que é sonho. (Narradores acostumados com o uso de seqüência oníricas podem — e devem — aproveitar esse Defeito).

Transformação Forçada (Defeito: 2 pontos)
Estímulos sexuais forçam a mudança (1 ponto para Galabro).
• Álcool ou drogas forçam a mudança (1 ponto para Glabro).


Equipamento e Bens Possuídos: Atualmente, apenas as roupas do corpo, sujas e rasgadas.



Prelúdio/Historia:


Marco Antônio nasceu em São Paulo, seu nome fora dado em homenagem à figura histórica por sua mãe. Seu pai, como ele descobriria anos depois, havia os abandonado antes dele nascer, e sua mãe havia se casado com outro homem, que precisou arcar com a paternidade do menino. Seu padrasto era engenheiro, e apesar de não ser uma pessoa ruim, era muito rigoroso com Marco. Após descobrir que ele não era seu verdadeiro pai, o jovem começou a acreditar que o modo como ele o tratava tinha a ver com o fato dele não o aceitar como filho.

Marco teve uma vida relativamente normal, era um aluno regular, exceto talvez nas atividades físicas onde tinha algum destaque, tinha alguns amigos, mas ainda se ressentia por não conhecer seu verdadeiro pai (cuja identidade sua mãe sempre fazia questão de esconder) e pelo modo frio como era tratado pelo padrasto. Durante sua adolescência, participou de um acampamento de escoteiros, onde descobriu seu amor pela flora, fauna e vida selvagem. Durante a puberdade, estranhas mudanças começaram a ocorrer, sonhos estranhos dele correndo pelas matas com quatro patas, e uma fúria e sentimento indescritível de libertação. Seu comportamento também interferiu em seus estudos, quebrando sua concentração, e revelando estranhas sensações, seja um repentino e explosivo desejo pelas fêmeas de sua espécie, ou pelo ódio que tratava os machos da mesma. A queda de suas notas chamou a atenção de seu padrasto, que o critica duramente. mas desta vez Marco não fica calado e revida, dizendo que ele não era seu pai e que não merecia seu respeito. Seu padrasto perde a razão e o agride violentamente, e foi nesse momento que tudo mudou...

Quando Marco voltava a si, não era mais ele mesmo. Aos seus pés, os restos do que sobrou de seu padrasto... e de sua mãe. Um gosto estranho em sua boca lhe e a visão de enormes nacos de carne faltando dos corpos lhe davam a terrível sensação de que ele havia se alimentado deles. A casa estava totalmente destruída, e quando Marco vê sua imagem refletida em um espelho partido, via um monstro vindo de um filme de terror, uma fera de mais de dois metros de altura, com o pelo empapado de sangue e fragmentos de carne humana. A visão foi tão terrível que o jovem Garou não acreditava no que estava acontecendo, e em um acesso de pânico, pula pela janela e foge pelas ruas.

Ainda incapaz de reverter sua transformação, o garou desesperado foge até uma área verde, e permanece por lá, até ser encontrado por quatro indivíduos semelhantes a ele. Semelhantes de uma forma eufemista, pois os quatro monstros eram ainda mais grotescos do que ele, alguns desprovidos de pelos, alguns com rostos de hienas, orelhas de morcego, saliva espumante e grandes olhos arredondados, que brilhavam em verde ou vermelho sangue. Inicialmente o jovem Lobisomem se assusta, mas as figuras dizem para ele não sentir medo, que ele havia passado pela primeira mudança e que poderiam ajuda-lo. Sem ter muitas opções, Marco opta por ficar com eles, algo que lamentaria o resto de sua vida.

Os lobisomens deformados o levam até uma área rochosa, cercada por detritos e lixo industrial, onde lhe mostram uma entrada entre as rochas. Eles lhe guiam por túneis escuros até seu refúgio, onde outros lobos deformados os esperavam. Eles ficam felizes com sua presença, pois uma velha loba havia profetizado um futuro sombrio para Marco e fez questão que ele fosse encontrado antes dos... outros. Marco estava muito confuso, mas aquelas criaturas realmente pareciam estarem o ajudando de bom grado. Eles lhe explicam brevemente sobre o que ele era, e o auxiliam a retornar á sua forma humana.

Em dado momento, eles decidem fazer uma celebração, na forma de uma dança macabra. Marco inicialmente se mostrava tímido, mas uma bela lobisomem, agora transformada em humana (talvez a única figura bela naquele ambiente) o tira para dançar com ela. Ela lhe oferece uma espécie de sopa contendo cogumelos e outros ingredientes que Marco não reconhecia. Ele tem receio de provar, mas ao ver que os outros a estavam experimentando, faz o mesmo, e assim entrava em uma viagem psicodélica.

 

Marco dançava sem medo com sua companheira, ambos agora transformados parcialmente (galabro) até perceber que um bacanal ocorria em sua volta. A visão era extremamente bizarra. Monstros de três metros de altura copulando com humanas, lobos tendo relações com homens e mulheres peludas, e esta orgia não era monogâmica. Quando ele se dava conta, sua parceira também estava tirando a roupa enquanto sorria para ele. Marco fazia o mesmo, mas quando estava próximo de toca-la, uma mão enorme com garras o agarra pela nuca e o afasta bruscamente dela.

- Não a toque, você ainda não é um de nós, não tem a permissão para espalhar seus genes!

E assim o arremessava ao chão de pedra. Marco se levanta furioso e rugindo, quando um poderoso soco o derruba novamente no chão.

- Não ouse levantar a mão contra nós, novato. Você aprenderá uma lição de humildade!

Três lobisomens o cercavam e tentavam mante-lo no chão. Marco não acreditava no que estava prestes a ocorrer, os três monstros estavam prestes a sodomiza-lo. Sua fúria foi tanta que ele acaba se transformando em Crinos, arremessando dois dos lobisomens e avançando contra o terceiro, porém acaba sendo rapidamente dominado pelos três, que o espancam até deixa-lo inconsciente.

Marco acorda, em uma espécie de masmorra escura e úmida, preso por fortes correntes. Ele permaneceu lá por dias, sem água ou comida, e quando gritou por alguém, dois guardas o surraram até ele parar de gritar. Quando a fome e sede o estavam dominando, um lobisomem surge diante dele, dizendo que aquilo não era apenas um castigo por sua insolência, mas também um teste para saber se ele era forte o suficiente para se juntar aos Dançarinos da Espiral Negra. Marco não tinha mais desejo nenhum de fazer parte destes monstros, e diz isso em voz alta, no que foi castigado pelo lobisomem, que o agarra pela mandíbula e com suas garras, arranca seu globo ocular esquerdo, devorando-o em seguida. A dor era insuportável e Marco não acreditava que aquilo tudo estava acontecendo com ele, e acaba desmaiando.

O tempo passa e Marco contava apenas com a própria companhia, exceto pelos guardas que lhe traziam comida e saiam sem lhe dizer uma palavra. A comida era escassa, servida apenas uma vez por dia, em um pequeno pires, quase sempre em estado de putrefação, e ocasionalmente temperada com urina e fezes dos lobisomens. Ele desejava que tudo aquilo fosse um pesadelo, mas ao acordar, percebia que permanecia no mesmo lugar. Não sabia a quanto tempo encontrava-se lá. Semanas? Meses? Era difícil contar o tempo quando não se podia ver o sol. Sem nenhuma companhia, ele desenvolvera um novo passatempo, uma espécie de auto-mutilação. Ele estava acorrentado, mas seus braços podiam alcançar seu próprio corpo, e ele arrancava os cabelos do próprio corpo, fio por fio. Algumas vezes, o próprio marco gritou, sabendo que seus captores o torturariam por isso, mas tudo que ele queria era ter a companhia de alguém por alguns momentos. Como era incapaz de partir as correntes, mesmo em sua forma de Crinos, ele tenta arrancar seu próprio braço, como as raposas faziam ao serem pegas em uma armadilha, mas por azar, um dos guardas percebe, e após acordar da surra, ele agora estava preso a uma espécie de focinheira.

O pobre Garou encontrava-se cercado por seus próprios dejetos, e ocasionalmente ratos e baratas o importunavam. Ele não sabia por quanto tempo suportaria aquilo, e começava a ter alucinações (ou pelo menos ele imaginava que eram alucinações) de seres espirituais rondando sua cela, falando com ele em sussurros, eles lhe diziam que para se libertar ele deveria se entregar, juntando-se aos Dançarinos por vontade própria. Marco pedia para que eles o matassem, mas isso não ocorreu. Ele ansiava pela morte, mas ela o negava, e neste momento sua vontade finalmente é dobrada e ele se rende, gritando para que seus captores venham. Um grande lobisomem com nariz suíno chega, afiando suas garras, pronto para testa-las em sua carne, quando Marco diz que iria se juntar a eles.

Ele se sentia um lixo por isso, mas não se importava, tudo que ele queria era ser livre novamente, não importava o preço. o Lobisomem com focinho suíno o conduz até o bando, que o aguardava e lhe dizia que seu ritual de iniciação o esperava.


OFF: Marco não sabe, mas seu pai biológico é um Garou Filho de Gaia que foi avisado por espíritos quando seu filho passou pela primeira mudança, mas perdeu seu rastro quando os Dançarinos o encontraram primeiro, Ele ainda procura por seu filho perdido.

Zeta
Filhos de Gaia
Filhos de Gaia

Mensagens : 77
Data de inscrição : 27/02/2014

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo


 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum